Com paridade de gênero, CUT Ceará elege diretoria para o quadriênio 2015-2019


Os 528 delegados e delegadas do 13º Congresso da Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE) elegeram em chapa unitária, por unanimidade, na tarde deste sábado (20/6), a nova Direção Executiva da entidade para o quadriênio 2015-2019. O evento, realizado em Beberibe –CE, reconduziu à organização as servidoras municipais Carmen Santiago e Ozaneide de Paulo, respectivamente secretária geral e secretária de mulheres. Também funcionária pública, Gardênia Baima, do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação do Ceará (Sindiute), torou-se secretária de igualdade racial.


“Nós municipais estamos aqui ajudando a construir esse Congresso e a política da CUT. Nós temos um papel fundamental no sentido de aprofundar a luta que a CUT já faz. Esse congresso aponta para a nova direção eleita que a CUT deve estar cada vez mais alinhada com os interesses de todas as categorias que estão aqui e as que não estão aqui representadas. Cabe a nós levar a CUT cada vez mais à esquerda, cada vez mais afinada com as ações que são necessárias para garantir os direitos dos trabalhadores. Agora, nós vamos fortalecer cada vez mais a CUT, pois entendemos que independente de nossas divergência, a CUT é maior que tudo isso e nós somos CUT e não abrimos mão disso”, discursou Enedina Soares, presidente da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), na última mesa de debates do CECUT.


Vilani Oliveira, presidente da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), destacou que o ramo quer ser parceiro na construção do novo mandato, mas que “quer ter o direito a participar das conversas e das construções das políticas dentro da Central”. Vilani afirma que a CUT deve continuar sendo protagonista das lutas por direitos no Brasil e finaliza frisando a importância do ramo dos trabalhadores públicos das cidades: “Dizer que somos hoje, os municipais, o segundo ramo dentro da CUT, o ramo que faz a política da entidade, um ramo que constrói a Central Única dos Trabalhadores desde o menor município ao maior deste país e quer ser tratado como o ramo que faz a política da CUT, aberto ao diálogo, não só um ramo que é grande em quantidade, mas um ramo que vem crescendo em qualidade”.


Presidente


O evento consagrou Francisco Wil e Silva Pereira, metalúrgico, como novo presidente da entidade, que tem à frente hoje Joana D’arc Barbosa Almeida. O 13º CECUT foi marcado pela inédita paridade de gênero na direção, com pelo menos 50% dos cargos ocupados por mulheres.


Joana Almeida despede-se


Joana Almeida, presidente da Central no estado até o Congresso, recebeu homenagem em sua despedida. Ela foi a mais jovem sindicalista a presidir uma instância estadual da Central e a segunda mulher a liderar a entidade cearense – a primeira foi Rosa da Fonseca.


Joana Almeida destacou, durante a apresentação da chapa unitária, o orgulho de ter novos diretores e diretoras de vários ramos de atividade e com inédita paridade de gênero. “Com muito entusiasmo, comunico que o Ceará agora tem paridade na direção da CUT!”, anunciou. Entre os eleitos, há membros do ramo da sapataria, educação, serviço público federal, serviço público estadual, serviço público municipal, comércio, bancos, rurais e metalurgia.


 “Educação, trabalho e democracia”


O tema que pautou o CECUT-Ceará gerou debates, mesas-redondas e palestras que discutiram conjuntura nacional, democratização da mídia, projeto político-organizativo da CUT, aprofundamento da democracia e participação das mulheres cutistas na construção da paridade. Protagonizaram as discussões: Maria Godói, secretária nacional adjunta da CUT; Carmen Foro, vice-presidenta da CUT Nacional; Graça Costa, secretária nacional de Relações de Trabalho da CUT; Maria Aparecida Faria, secretária adjunta da CUT Nacional; Regina Cruz, presidenta da CUT-PR; Airton Santos, coordenador nacional de Atendimento Técnico Sindical do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (Dieese); Maria Frô, historiadora e educadora, ativista da educação para igualdade étnico-racial e blogueira; além de Leidiano Farias, membro da Direção Nacional da Consulta Popular; e Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras.


Este foi o quinto congresso das centrais estaduais em 2015, que se preparam para o 12º Congresso Nacional da CUT (CONCUT), que será realizado em outubro próximo. Também já definiram novas diretorias as centrais estaduais do Distrito Federal, Pernambuco, Alagoas e Acre.


Executiva Estadual


A executiva contempla todos os principais segmentos que se organizam dentro da Central no Estado, em 14 ramos de atividade, distribuídos em quase 300 sindicatos filiados. Veja a composição da diretoria executiva da CUT-CE, para o próximo quadriênio:


Presidência: Francisco Wil e Silva Pereira


Vice-presidência:Eduardo Honorato


Secretaria Geral: Carmem Santiago


Secretaria de Administração e Finanças: Helder Nogueira


Secretaria de Comunicação: Emanuel Lima


Secretaria da Mulher Trabalhadora: Maria Ozaneide de Paula


Secretaria de Formação: Lúcia Maria Silveira de Queiroz


Secretaria de Juventude: Adrieli Sousa


Secretaria de Organização e Política Sindical: Helenira Pinheiro


Secretaria de Políticas Sociais: Roberto Luque


Secretaria de Relações de Trabalho:Antônio Ricardo de Lima


Secretária de Saúde do Trabalhador: Hernesto Luz


Secretaria do Meio Ambiente: Lílian Araújo Pinto


Secretária pela Igualdade Racial: Gardênia Baima


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO