Servidores de Fortaleza protestam contra Reforma da Previdência e avaliam paralisação

Nesta quinta-feira (11), servidores municipais de Fortaleza protestaram em frente ao Paço Municipal contra as medidas enviadas à Câmara pelo prefeito José Sarto, que iniciam o desmonte da previdência dos trabalhadores do município.

O ato unitário foi convocado pelo Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort) e contou com a participação da Fetamce, do Sindiute, da CUT Ceará, do Sindsaúde e do Sinasce. A atividade cobrou a retirada dos projetos do legislativo e a instalação imediata de mesa de negociação para discutir a questão.

As duas mensagens que chegaram à Câmara no dia anterior. A primeira, de Nº 004/21, trata das questões relativas à aposentadoria dos servidores, previdência complementar e outros pontos, e foi aprovada ontem em primeiro turno, com 31 votos a favor e 9 votos contra. Já a outra, Nº 002/21, que traz vários prejuízos como o fim dos anuênios e licença prêmio, não foi votada em plenário, mas tramita em comissões.

Após intensa pressão, uma comissão de dirigentes sindicais foi recebida pelo titular da Coordenadoria Especial de Articulação Política, Ésio Feitosa. Na conversa, ele se comprometeu a informar, até amanhã, 12 de fevereiro, uma data para reunião da Mesa Central de Negociação Permanente, mas sem garantir a participação do prefeito. Os sindicatos avaliam falta de disposição de Sarto para dialogar diretamente com as entidades. Na reunião da Mesa Central, também será discutido o reajuste salarial da categoria, cuja data base é primeiro de janeiro.

A proposta das entidades sindicais agora é manter a unidade e mobilizar os servidores para que compareçam no próximo ato, marcado a princípio para segunda-feira, dia 15 de fevereiro, às 9h, novamente em frente ao Paço Municipal. Caso não haja avanços, paralisações ou até mesmo uma greve geral podem ser deflagradas.

Mais imagens do protesto

DEIXE UM COMENTÁRIO