Municipais aderem ao Dia Nacional de Mobilização, no Ceará


O Dia Nacional de Mobilização e Paralisação (30) foi aderido por servidores municipais de diversas regiões do Estado. Em municípios do Cariri, Sertão Central e Região Metropolitana, caminhadas e audiências chamaram a atenção para as pautas defendidas pelos municipais, sendo a mais eminente a luta contra o Projeto 4330/04, que será votado na Câmara dos Deputados na próxima terça-feira (3).


Cerca de 30 municípios cearenses estiveram envolvidos nas mobilizações dos municipais. Unidades de saúde e escolas municipais paralisaram suas atividades, fortalecendo o movimento da classe trabalhadora.


Na Região Metropolitana, servidores de Caucaia (foto) realizaram uma caminhada no entorno da praça da Câmara Municipal, chamando a atenção dos comerciantes e da população para o Dia Nacional de Mobilização. Representantes dos Sindicatos dos Servidores Municipais de Maranguape e Aquiraz juntaram-se ao movimento, além dos rurais de Caucaia. No fim da manhã, uma comissão de servidores entregou ao chefe do Gabinete da Prefeitura as pautas de reivindicações dos municipais. As negociações estão travadas desde junho, sem retorno da Administração.


Em Quixadá, o ato foi em frente à Prefeitura Municipal e recebeu o apoio dos Sindicatos de Barreiras e Itapipoca e da CUT/Ceará.


Em Campo Sales (foto), ocorreu uma audiência pública na Câmara Municipal, com a presença do prefeito e dos vereadores. Foram discutidas as pautas dos servidores: atualização do plano de cargos e carreiras dos profissionais de magistério, reajuste dos servidores que ganham acima do salário mínimo e discussão do plano de carreira dos servidores da saúde e administração.


Da audiência foi formada uma comissão mista, que vai se reunir no dia 12 de setembro na Câmara para discutir a atualização do plano de carreiras dos professores e, em seguida, discutir as outras pautas.


Em Icó, houve assembleia dos servidores, que deliberaram greve para o dia 5 de setembro. 


Saiba mais

O Projeto de Lei nº 4330/04, conhecido com PL da Terceirização, é de autoria do deputado federal Sandro Mabel (PMDB-GO). A norma retira direitos dos trabalhadores e precariza as condições de trabalho, renda e segurança.


São pautas dos municipais, ainda, o fim do fator previdenciário; as 40 horas semanais sem redução de salário; 10% do PIB para a Educação; 10% do orçamento da União para a saúde; transporte público e de qualidade; valorização das aposentadorias; reforma agrária; suspensão dos leilões do petróleo.



Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO