Miraíma: Prefeitura persegue movimento sindical e descumpre legislação trabalhista

O Sindicato dos Servidores Municipais de Miraíma conquistou na justiça o direito de reintegração de dirigentes sindicais e servidores públicos demitidos, o que contraria a legislação trabalhista no Brasil, e vem sofrendo retaliações promovidas pela administração municipal, liderada pelo prefeito Roberto Ívens Uchoa Chaves.


A reintegração dos servidores e dirigentes sindicais Francisco Rodrigues Teixeira, Selinlandia Linhares Moura Freitas e Telma Maria Teixeira Pinheir aconteceu por meio de decisão liminar da justiça da Comarca Vinculada de Amontada, em mandado de segurança.


O advogado autor da ação e assessor jurídico do sindicato, Valdey Alves, afirmou que além dessa questão, o município responderá por outras violações, tais como as dificuldades colocadas pelo prefeito para dar posse aos que faltavam ser reintegrados, o não pagamento do salário mínimo, o fato de negar a licença prêmio e, finalmente, de violar a lei do piso do magistério.


O Sindicato de Miraíma lembra que os problemas com o prefeito não param por aí. O salário dos dirigentes sindicais, mesmo protegidos por uma liminar, foi cortado. O responsável pela administração também tomou o horário de rádio do Sindicato, tirou o desconto em folha dos filiados à entidade e viola inúmeros direitos sociais.

Assessoria de Comunicação – FETAMCE
Siga-nos no Twitter > @FETAMCE


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO