Fortaleza: Servidores voltam a protestar contra reforma de Sarto

A manifestação foi realizada na Câmara Municipal de Fortaleza, na manhã desta terça-feira (2/3)

Servidores municipais de Fortaleza e representantes de entidades sindicais realizaram mais um protesto nesta terça-feira (2/3), na frente da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor). Logo cedo, os manifestantes fecharam a avenida de acesso à Casa, em manifestação contra as novas medidas enviadas pelo prefeito José Sarto (PDT), que iniciam o desmonte do regime previdenciário do funcionalismo da Capital.

De acordo com Wil Pereira, presidente da CUT Ceará, o novo texto da Reforma da Previdência além de prejudicar os servidores com o aumento da idade e do tempo de serviço para se aposentar, do aumento da contribuição previdenciária, da taxação de aposentados e pensionistas e da redução da base cálculo para aposentadoria, coloca em risco direitos relevantes como os anuênios e a licença prêmio.

A proposta prevê que o acréscimo de 1% dos anuênios seja reduzido para 0,25% a cada ano de serviço. A Reforma também propõe a redução da concessão da Licença Prêmio de 3 meses a cada 5 anos de exercício efetivo para apenas 1 mês a cada 6 anos.

“Após o recuo da Prefeitura na semana passada, nós foi prometido que haveria diálogo na construção de uma nova proposta de Reforma da Previdência. O novo texto chegou aqui na Câmara e será aprovado novamente sem diálogo com as entidades que representam os servidores públicos. Isso é um absurdo! Não vamos aceitar que mais uma vez o projeto seja votado sem que estejamos cientes de todos os pontos e sem que sejamos ouvidos”, alertou Wil Pereira, ao destacar que enquanto a matéria estiver em tramitação a categoria continuará mobilizada.

Assim como os anteriores, o ato desta terça foi convocado pelo Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort), Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação do Ceará (Sindiute) e outras diversas entidades, além de ser apoiado pela Fetamce e pela CUT Ceará. As duas bases de servidores estão em estado de greve desde o começo do mês de fevereiro em protesto contras as propostas enviadas ao Legislativo pela Prefeitura de Fortaleza e a falta de diálogo entre o Poder Executivo e as entidades que representam os trabalhadores.

Votação

Mesmo com intensa pressão do lado de fora, os vereadores decidiram autorizar a tramitação do novo texto da Reforma da Previdência encaminhado pela Prefeitura de Fortaleza, por 23 votos a favor e 12 contra. Segundo Wil Pereira, apesar do resultado no Plenário da Câmara, a categoria conseguiu agendar uma reunião com uma comissão de vereadores para esta quarta-feira (3), às 9h, para debater sobre os principais pontos da proposta.

Tensão

Durante a mobilização vários momentos de tensão foram provocados pela Guarda Municipal, que tentou dispersar os manifestantes com spray de pimenta e bombas de efeito moral, enquanto vereadores tentavam ter acesso à Câmara Municipal.

Fonte: CUT Ceará

DEIXE UM COMENTÁRIO