Quixeramobim: prefeito, vice e dez secretários são afastados por corrupção


 


O município de Quixeramobim, no Sertão Central cearense, amanheceu, na segunda-feira (09/04), tomada por viaturas policiais. Era a deflagração da “Operação Quixeramobim Limpo II”, desencadeada em vários órgãos públicos, incluindo as residências do prefeito Cirilo Pimenta (PSD) e de outras pessoas ligadas à administração municipal, determinada pela Justiça, que acatou pedido dos promotores e afastou o prefeito Cirilo, vice-prefeito, Tarso Boregwes, e o procurador-geral do Município, Ricardo Alexander Cavalcante.


 


Ao todo, foram  cumpridos 30 mandados de busca e apreensão expedidos pelos juízes Fabrício Mazza e Fabrícia Ferreira Freitas, no último dia 27. A decisão judicial atende a um pedido do MP, que já havia ajuizado, no mês passado, uma ação cautelar preparatória de improbidade administrativa, contra 26 gestores públicos do município, acusados de fraudar licitações. O trabalho foi executado através da Promotoria de Justiça de Quixeramobim, da Procuradoria dos Crimes Contra a Administração Pública (Procap) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).


 


A Justiça também deferiu várias medidas liminares, como, o imediato afastamento de todos os requeridos (prefeito, vice-prefeito, procurador-geral do Município, todos os secretários municipais, todos os membros da Comissão de Licitação, presidente da autarquia de Trânsito e outros gestores) pelo prazo de 180 dias, além da indisponibilidade dos bens deles e da quebra dos sigilos bancário e fiscal. Ao todo, são 26 afastamentos. Ainda, de acordo com a decisão, a Câmara Municipal deve realizar uma imediata sessão extraordinária, para a nomeação do presidente, no cargo de prefeito, durante os 180 dias.


 


“Quixeramobim Limpo I”


A megaoperação de ontem, em Quixeramobim, é resultante de uma análise parcial do material apreendido, durante a operação “Quixeramobim Limpo I”, realizada em 21 de março, deste ano, oportunidade em que haviam sido verificadas fraudes licitatórias da ordem de R$ 5.848.335,67 referentes à atual gestão. Na ocasião, foram apreendidas inúmeras licitações fraudadas, nas quais, haviam vários “check-list” das irregularidades a serem corrigidas, documentos em branco (atas, contratos, propostas), e outras. Para o MP, isso é fruto da atuação de uma suposta quadrilha infiltrada na Prefeitura de Quixeramobim, relacionada com a fabricação de processos licitatórios.


 


Requerimento


Os promotores de Justiça, responsáveis pelo caso, informam que, entregarão, ainda esta semana, um requerimento ao procurador-geral de Justiça, para que ele analise a viabilidade de intervenção estadual em Quixeramobim. Por outro lado, o balanço da operação “Quixeramobim Limpo II” será divulgado pela assessoria de comunicação do Ministério Público do Ceará, após a conclusão dos trabalhos.


 


Doze estados


A megaoperação ocorreu em 12 estados da federação e em 78 cidades brasileiras, mobilizou 150 promotorias e 1.300 policiais. Os órgãos apuram o valor de R$ 1,1 bilhão desviado pelos bandos criminosos, que atuam nas administrações públicas brasileiras.


 


Sem êxito


Durante o desenvolvimento da operação “Quixeramobim Limpo II” a reportagem tentou contado com o prefeito Cirilo Pimenta e outras autoridades acusadas no caso, mas até o fechamento desta edição, não houve retorno.


 


Repercussão


Ao tomar conhecimento da operação, a população de Quixeramobim ficou dividida. Para os partidários do prefeito Cirilo Pimenta, tudo não passava de uma grande mentira . Já os eleitores que votaram contra o atual gestor, não escondiam seu contentamento com o desfecho do caso. “Quixeramobim outra vez nas páginas policiais não é bom para um povo que enfrenta uma seca de grandes proporções e não pode ficar sem administrador neste momento. Mas a Justiça sabe o que faz e esperamos que tudo isso seja resolvido logo”, afirmou um morador que não quis identificar-se.


 


Nota da Câmara


A Acessória de Comunicação da Câmara Municipal de Quixeramobim, divulgou no facebook daquela casa, no fim da tarde de ontem uma nota informando que ainda não havia sido comunicada, de forma oficial, pelo Ministério Público, sobre a realização de uma sessão extraordinária para nomeação de seu presidente como chefe do Poder Executivo, devido a operação “Quixeramobim Limpo II”. (Com informações do site do MP/CE e colaboradores).


 


Fonte: O Estado


 


Assessoria de Comunicação


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO