É hora de justiça fiscal, do fim das desigualdades e de uma política feita do povo e para o povo!

Originalmente publicado na sexta edição da Revista F, o texto abaixo, assinado pela presidenta da Fetamce, Enedina Soares, destaca a importância do tema da publicação, que foi a luta por justiça fiscal no Brasil. Acompanhe!

Capa da Revista F, que abordou a desigualdade tributária brasileira. Imagem: Reprodução.

Justiça tributária é o mínimo que se pode esperar de qualquer governo sério, independentemente do seu viés ideológico ou partidário. Isto significa administrar o país com uma política fiscal justa, respeitando o princípio constitucional da capacidade contributiva, ou seja: quem ganha mais, paga mais impostos, quem ganha menos, paga menos impostos. Vale ressaltar também a necessidade de transparência, de eficiência e eficácia na aplicação dos recursos recolhidos, em favor de toda a sociedade e não de setores ou grupos privilegiados. Seguramente, não é isso que acontece no Brasil.

Diante desse contexto, tomamos a decisão política dentro da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce) de colocar a luta por “justiça fiscal” como uma das ações estratégicas da entidade sindical. Sobretudo, porque reconhecemos que se combater a injustiça tributária é uma forma de angariar recursos para financiar um serviço público de qualidade e propiciar boas condições de trabalho aos servidores públicos municipais.

Sendo assim, apresentamos à sociedade este vasto material jornalístico sobre o tema, que pretende ser um grande instrumento de mobilização social e de informação pública, sobretudo porque mostramos o que a velha mídia comercial quer esconder. É nosso papel, enquanto militantes dos movimentos sindical e popular, denunciar as violações de direitos e o modelo opressor de Estado em que vivemos, onde o ilógico vira lógica, onde a ilusão é vendida como realidade.

No contexto de crise institucional extrema em que está mergulhado o país, depois de golpes na Democracia e nos direitos, a gente permanece nas trincheiras da resistência, de mãos dadas uns com os outros, lutando fortemente para combater a desigualdade tributária e social que joga milhões na miséria e que explora e oprime outros tantos.

É hora de justiça fiscal, do fim das desigualdades e de uma política feita do povo e para o povo!

Enedina Soares

Presidenta da Fetamce

Leia a Revista F – Número 6 AQUI

DEIXE UM COMENTÁRIO