Com salários atrasados, professores de Orós pedem paciência a credores

Professores públicos municipais de Orós denunciam nas redes sociais o atraso salarial constante. A situação é tão grave que o presidente do Sindicato da categoria, Nelson Rodrigues, foi ao Facebook apelar para que os comerciantes e demais credores dos educadores tenham sensibilidade com a situação e esperem mais um pouco para a quitação de dívidas.

Até a última terça-feira, 21 de agosto, a prefeitura de Orós não havia pagado os proventos de julho dos profissionais das escolas de ensino fundamental e da educação infantil. O que causa preocupação é que a educação pública é financiada em maior grau por recursos federais, provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb. A pergunta que os trabalhadores se fazem é: onde estão tais recursos?

Nelson Rodrigues classificou a situação como “uma irresponsabilidade do governo municipal de Orós”. Ele disse que o caso é muito grave, pois são “pais e mães de família que trabalham para educar e eis o reconhecimento da Secretaria de Educação”. E finaliza: “Será que o salário da Secretária de Educação e do Prefeito estão em atraso?”, ironizou o presidente do Sindicato dos Servidores.

DEIXE UM COMENTÁRIO