Cinco mil agricultores participam do 21º Grito da Terra


Vindos de todas as regiões do Ceará, mais de cinco mil agricultores e agricultoras familiares participaram nesta quarta-feira (20/5), em Fortaleza, de grande ato público em virtude do 21º Grito da Terra Brasil (GTB), que nacionalmente é organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e, nos estados, pelas federações. No Ceará, o GTB foi coordenado pela Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece).


Os trabalhadores iniciaram a manifestação na Praça José Bonifácio, no Centro da Capital, e em seguida partiram em marcha pelas ruas e avenidas da cidade, passando pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), onde cobraram do órgão ação mais efetiva. Logo depois, seguiram para a sede da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), na Avenida Bezerra de Menezes.


Na SDA, os agricultores familiares foram recebidos pela vice-governadora, Izolda Cela, pelo chefe de Gabinete do Governador, Élcio Batista, e coordenadores de pastas vinculadas à SDA. No local, Izolda Cela justificou a ausência do governador Camilo Santana, que participa de audiência com a presidenta Dilma Rousseff, em Brasília.


Pontos conquistados


Élcio Batista oficializou para os agricultores e agricultoras o resultado da audiência entre a Fetraece e o governador Camilo Santana ocorrida na segunda-feira (18/5), e também da negociação com a vice-governadora realizada nesta quarta-feira (20/5). Entre os pontos conquistados pelos trabalhadores com o ato, estão: perfuração e instalação de mais de 300 poços demandados pela Fetraece e sindicatos por meio da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra); garantia do desenvolvimento do Programa Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural e que deve ser implementado até o fim de 2015; aplicação de R$ 1,3 milhão em assistência técnica para assentamentos estaduais por meio do Instituto Agropólos; disponibilização de mais de R$ 3 milhões para a Regularização Fundiária; comprometimento de assentar 4 mil famílias por meio do Programa Nacional do Crédito Fundiário até 2016; e garantia R$ 800 mil para a realização de quatro feiras da Agricultura Familiar organizadas pela Fetraece.


Representantes de outras entidades sociais e sindicais estiveram presentes no ato apoiando os trabalhadores/asrurais cearenses, como a Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE), com diversos membros, entre eles/as, a presidenta, o vice-presidente e o secretário geral da entidade, respectivamente Joana Almeida, Wil Pereira e Hélder Nogueira; Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA), entre os representantes, a coordenadora no Ceará, Cristina Nascimento; e a presidente da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), Enedina Soares. Destaque para a participação do deputado estadual e vice-presidente licenciado da Fetraece, Moisés Braz, que além de participar da manifestação, realizou discurso na Assembleia Legislativa sobre o GTB. 


“Nosso Grito da Terra foi um sucesso, conseguimos alcançar diversas reivindicações, principalmente com o Governo do Estado, mas é preciso continuar sempre lutando pelo melhor para os agricultores e agricultoras cearenses”, destaca o presidente da Fetraece, Luiz Carlos Ribeiro Lima.


Em entrevista à Agência EBC, o secretário de Política Agrícola da Fetraece, José Francisco de Almeida Carneiro, defendeu um “amplo projeto de convivência com o semiárido, com distribuição de água de forma equitativa, universalização do acesso à água por meio da construção de cisternas de placa e outras ações”. Sobre o Plano Estadual de Convivência com a Seca, lançado pelo Governo do Estado no fim de fevereiro, o secretário da Fetraece disse à EBC que acredita nas ações elencadas no documento, mas que ainda espera que elas sejam postas em prática.


Pauta é nacional


Nesta quinta-feira (21/5), no Palácio do Planalto, a presidenta Dilma Rousseff entregará oficialmente as respostas da Pauta do 21º Grito da Terra Brasil para Comissão de Negociação formada pela diretoria executiva da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), dirigentes sindicais de todo o Brasil e assessores/as do Movimento Sindical dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR).


Até a resposta Oficial que será entregue pela presidenta Dilma Rousseff, mais de 80 mil trabalhadores vêm realizarando em todo o Brasil vários atos estratégicos, audiências junto aos Ministérios, Secretarias Nacionais, Congresso Nacional, Governos de Estados e Agências Financeiras, que trazem um conjunto de Reivindicações demandadas pelos povos do Campo, da Floresta e das Águas.


Em 2015, a 21ª edição o Grito da Terra Brasil, realizada de 18 a 22 de maio, traz como tema principal “Desenvolvimento Rural Sustentável com garantia de Direitos e Soberania Alimentar”, e assim como no ano anterior, acontece de forma conjunta em todo Brasil, unindo em um só grito cerca de 80 mil  trabalhadores e trabalhadoras rurais dos municípios, estados e em Brasília-DF.   


Fonte: Fetraece


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO