Transporte escolar fica sem pagamento em Icó


Estudantes, professores, proprietários de veículos contratados pela Secretaria de Educação do Município para transporte escolar e vereadores da oposição realizaram, nesta cidade, uma manifestação contra o atraso no pagamento do serviço de condução dos alunos da rede pública municipal. Ônibus e vans estão parados, prejudicando centenas de alunos da zona rural e da cidade.


O ato público chamou a atenção da população. Inicialmente, os participantes concentraram-se na Praça da Coluna da Hora onde houve discursos de lideranças estudantis. Depois caminharam pelas ruas do Centro, até a sede do Ministério Público Estadual, onde foi protocolada uma denúncia no órgão, solicitando providências dos promotores de Justiça e cobrando a volta imediata do serviço público.


A manifestação reuniu centenas de estudantes e dezenas de pais de alunos, além de populares, que acompanha o protesto das lideranças comunitárias.


“O nosso objetivo é reivindicar o imediato pagamento do transporte escolar para que os alunos não fiquem prejudicados no fim do ano letivo que se aproxima”, disse o vereador Gilberto Barbosa. “Esperamos que as autoridades adotem providências porque o atraso já chega há três meses”, completou.


Ainda de acordo com o parlamentar, os recursos do Governo do Estado para o município gerenciar o transporte escolar estão sendo repassados. Por isto, não se justifica o atraso no pagamento do serviço contratado. “O prefeito precisa ter consciência da gravidade do problema e vai efetuar o pagamento aos donos dos carros contratados”, disse Barbosa.


A paralisação está prejudicando cerca de sete mil estudantes da rede pública municipal. Aqueles que moram na zona rural são os mais afetados. “Há risco dos alunos perderem o ano letivo”, disse Barbosa. Durante o ato público, foram colhidas assinaturas denunciando o fato. O documento com centenas de assinaturas foi protocolado na sede local do Ministério Público Estadual por uma comissão formada por vereadores de oposição.


O vereador Ítalo da Paz teme que ocorra um desmonte na Prefeitura, prejudicando o andamento dos serviços públicos e a nova administração que vai assumir no próximo dia 1º de janeiro. Em Icó, o prefeito Marcos Nunes (PMDB) tentou a reeleição, mas foi derrotado. O vencedor foi o ex-prefeito Jaime Júnior, que também disputou a eleição municipal em 2008.


O motorista de veículo contratado para o transporte escolar, Antonio Caboclo Pinheiro, faz uma rota rural, e disse que recebe por mês R$ 1.800,00 pelo serviço. “O atraso em meu pagamento já faz três meses”, contou. “A minha renda está comprometida porque tenho gastos com o carro, estou devendo no posto e tenho despesas com a família”. O secretário de Educação de Icó, Getúlio Oliveira, rebateu as informações dos vereadores da oposição e disse que o sistema de transporte estudantil do município não está completamente suspenso. “A paralisação é parcial”, ressaltou. “Dez ônibus continuam fazendo as rotas regularmente e cerca de 50% dos outros 40 veículos que prestam serviços continuam rodando”.


Oliveira admitiu que a paralisação, mesmo que parcial, prejudica parte dos estudantes, mas que somente dois meses estavam atrasados, e não três como afirma a oposição. “Já fizemos o pagamento de um mês e esperamos que a partir da próxima semana o serviço fique regular”.


Ele esclareceu que o atraso decorre da falta de repasse de R$ 460 mil por parte do Governo do Estado para o setor. “O município vem arcando com as despesas, mas está tentando solucionar o problema”, frisou. Com relação à falta de merenda escolar, Oliveira disse que os produtos já foram adquiridos e serão distribuídos nas escolas. Esclareceu também que melhorias nas escolas estão sendo efetuadas.


Atualmente, 50 veículos fazem o transporte dos estudantes da rede pública de Icó, a segunda maior cidade da região Centro-Sul. A zona rural é a que mais precisa do serviço.


Fonte: Diário do Nordeste

Assessoria de Comunicação – FETAMCE

comunicacao@fetamcetmp.org.br


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO