Quatro municípios do Ceará estão com servidores em greve


A luta dos servidores públicos de alguns municípios cearenses foi destacada pelo deputado estadual Renato Roseno (PSOL), que fez pronunciamento ontem, dia 23 de setembro, sobre as greves e mobilizações conduzidas pelos dos trabalhadores do setor público das cidades do Ceará.


Atualmente, a Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce) recebeu a informação de que funcionários públicos de quatro cidades estão em greve. Destes, três paralisaram as atividades há mais de 100 dias: Várzea Alegre (101 dias), Iguatu (116 dias) e Barbalha (151 dias). Também está com trabalhadores paralisados a cidade de Redenção.


Várzea Alegre


“Defendemos o direito legítimo de trabalhadores que querem continuar trabalhando, mas em condições dignas. Em alguns casos, os servidores chegam a ganhar menos que um salário mínimo e essa medida contraria a Súmula Vinculante nº 16 do Supremo Tribunal Federal (STF), segundo a qual ninguém pode ganhar menos que um salário mínimo. É o caso de Várzea Alegre”, afirmou o parlamentar.


Além do direito ao salário mínimo, os auxiliares de serviços, merendeiras e vigias de Várzea Alegre em  greve lutam pelo adicional de insalubridade e um Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS).


Barbalha


Já em Barbalha, somente 50% dos profissionais da saúde estão atividade e isso somente por decisão judicial. Segundo dirigentes do Sindicato dos Servidores da cidade a insatisfação do grupo e a vontade do grupo era estar com toda a categoria em greve. Os servidores demandam melhores condições de trabalho, reajuste salarial e adicional de insalubridade. Eles reclamam ainda da falta de dialogo por parte da Prefeitura e, com isso, decidiram manter a greve até que a administração apresente uma nova proposta.


Iguatu


Agentes Comunitários de Saúde (ACS), Agentes de Combates às Endemias (ACE), auxiliar de serviços, enfermeiros, engenheiros, geólogos, bibliotecários e psicólogos são as categorias que mobilizam a greve em Iguatu. Segundo Fátima Lopes, presidente do Sindicato de Servidores Municipal, as negociações estão caminhando e ressalta que a maior conquista, do Plano de Cargo, Carreiras e Remunerações, o PCCR, está mais próximo de se tornar realidade. No entanto, Fátima afirma que o impasse ainda é a questão do auxílio insalubridade.


Redenção


E na greve mais recente, os servidores de Redenção se manifestaram na manhã de hoje (24). Participam da mobilização garis, alguns servidores da saúde e os licenciados que recebem pelo Plano de Previdência Municipal, o Redenção Prev, que estão com atraso de salários. Os professores também integram a paralisação e reivindicam o retorno do horário destinado a estudo e planejamento, caçado pela gestão municipal, o retroativo de reajuste salarial dos meses de janeiro e fevereiro e o cumprimento de umTermo de Ajustamento de Conduta (TAC) referente ao ano de 2013.


Atos em Iracema e Quixadá


A mobilização por direitos dos trabalhadores públicos também está em ebulição em Iracema e Quixadá.


Na primeira, os servidores da saúde denunciam a falta de pagamento dos salários de agosto de 2015. Só receberam pagamento regularmente professores, médicos e enfermeiros. Há indicativo dos funcionários de Iracema se nada avançar.


E este é o caso também de Quixadá, onde os servidores reclamam de atrasos nos salários de junho, julho e agosto. A maioria dos servidores está com o nome sujo nas instituições de crédito tendo em vista que não estão sendo repassados os valores referentes a empréstimos consignados. A novidade é que a Justiça autorizou o bloqueio das contas do Executivo para que os recursos sejam destinados a honrar os salários do grupo.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO