Professores de Maracanaú fazem forte protesto em repúdio ao Sindicato APEOC

Um dia de luta para ficar na história da Educação de Maracanaú. Na manhã de ontem (27), professores de mais de 50 escolas do município mostraram a resistência da categoria, aderindo à paralisação convocada pelo Sindicato Unificado dos Profissionais em Educação no Município de Maracanaú (Suprema). Eles protestaram em frente à sede do sindicato Apeoc, para que o recurso da associação que embarga a negociação do precatório do Fundef seja retirado da justiça.

Os professores demonstrando a unidade que o momento pede, se mobilizaram e fizeram cartazes e faixas, que traziam em seus textos: “Rapinismo Sindical em Maracanaú não!”; “APEOC não nos representa”; “APEOC o precatório não lhe pertence”; “FORA APEGV, em repúdio a permanência do sindicato APEOC na disputa pela liberação da verba. Atualmente o percentual representa 60% do montante, o que já está claro que deve ser todo destinado à Educação do Munícipio, o que também deve compreender o pagamento de professores.

O Suprema, que é o representante legal da categoria, pede que o prefeito se reúna com as duas entidades para chegarem a um acordo. O fato do sindicato APEOC ter sido afastado da ação do precatório e mesmo assim ter recorrido da sentença, deixou os professores bastante indignados, o que culminando no ato de ontem.

“O Suprema é o representante legítimo da categoria e foi escolhido pelos professores de Maracanaú, quando ninguém lutava por seus direitos nessa cidade. A prova está nesse ato que mobilizou quase todas as escolas do município. A força ressurge na categoria e precisamos avançar em defesa dos nossos direitos e não cederemos a pressão de quem só se preocupa com dinheiro”, enfatiza Joana Ferreira, presidenta do Suprema.

Em nota, o sindicato APEOC rebate as críticas dos professores de Maracanaú e afirma continuar no processo até que haja decisão judicial ou acordo com a prefeitura.

Fonte: Suprema

DEIXE UM COMENTÁRIO