Independência – Servidores entram em greve geral por tempo indeterminado


Os servidores municipais de Independência, Regional Crateús, decidiram entrar em greve geral, por tempo indeterminado. A categoria não aceita mais esperar do poder público, as propostas de reposição salarial e de avanços em outros direitos trabalhistas. Em assembleia realizada no último domingo (6), os trabalhadores decidiram pelo início do movimento grevista para amanhã (10).


Segundo João Teixeira, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Independência (Sindspumi), até o momento, a única proposta da Prefeitura aos trabalhadores foi a reposição salarial de 8,32% para os professores com Ensino Médio, não contemplando, contudo, os demais docentes. O sindicalista destacou ainda que o valor só foi apresentado no dia 25 de março, um dia após a paralisação dos servidores no Município, e que o poder público não negociou esse percentual com o Sindicato, pois o impôs por meio de um decreto municipal.


O sindicalista avaliou como difícil a condução da Prefeitura nas negociações com os servidores. “É uma postura de coronelismo”, comparou. “Não negociam e ameaçam as pessoas a não fazerem greve”, ressaltou, exemplificando o ofício emitido nesta semana pelo secretário de finanças, pelo qual ele ameaça descontar os dias não trabalhados daqueles servidores que aderirem à greve.


Amanhã (10), a partir das 8h, no Centro Pastoral, será realizada uma assembleia geral para que os trabalhadores tracem o calendário de greve.

Reivindicações


OS servidores municipais de Independência reivindicam  o pagamento do salários de dezembro de 2012 para as categorias da Saúde que ainda não receberam (o pagamento sairia por categoria e, desde julho de 2013 não foi mais efetuado), o respeito à Lei Nacional do Piso do Magistério; a promoção pela via acadêmica; a organização do calendário de pagamento, deixando o quinto dia útil para o recebimento; reposição salarial para todas as categorias; plano de carreiras para todos os servidores (há somente para o Magistério) e adicional de insalubridade.


A negociação do mês dezembro foi feita desde junho de 2013 e desde l[a não houve mais negociação. O acordo foi feito em fevereiro de 2013, para ser pago por secretaria. Só falta nível médio da saúde.


 


Imagem: Mobilização de 2012 (Arquivo – Sindsepumi)

 


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO