“Fora Temer”: Ceará participa do Dia Nacional de Mobilização


Para o movimento sindical, está claro que o golpe é contra os trabalhadores e trabalhadoras, contra as camadas sociais menos favorecidas que foram alvo de políticas sociais nos últimos 12 anos.


Com o lema “Fora Temer, Não ao Golpe e Nenhum Direito a Menos”, o movimento Ceará Contra o Golpe e a Frente Brasil Popular Ceará convocam para Dia Nacional de Mobilização e Paralisação em defesa da democracia, dos direitos sociais e pela saída do presidente interino Michel Temer (PMDB). A atividade acontece nesta sexta-feira (10/06) em todo o país. EmFortaleza, o ato terá concentração às 15 horas, na Praça Luiza Távora(Avenida Santos Dumont, 1589), no coração da Aldeota.


A mobilização ocorre após a queda de três ministros em menos de 30 dias do governo interino. Além disso, vieram à tona conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que comprometem vários políticos do PMDB e do PSDB, apontando que o processo de impeachment da presidente Dilma Roussef (PT) foi uma articulação para abafar a Operação Lava Jato.


Os escândalos de corrupção envolvendo Aécio Neves, Sarney, Temer, Eduardo Cunha, Romero Jucá, Renan e boa parte do Congresso Nacional, demonstram que os chefes do golpe tramam para barrar as investigações da Lava Jato, usurpar o poder e aplicar o projeto mais neoliberal da história do Brasil.


O momento político reforça a necessidade da unidade e da mobilização popular. Por isto, para o ato do dia 10, estão sendo convocados trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade, centrais sindicais, partidos políticos, sindicatos, federações e representantes das diversas frentes dos movimentos sociais do Ceará que, unidos, lutam contra o governo interino de Michel Temer, em defesa da democracia, do mandato legítimo da Presidenta Dilma, dos direitos e conquistas sociais e contra o golpe.


Para o movimento sindical, está claro que o golpe é contra os trabalhadores e trabalhadoras, contra as camadas sociais menos favorecidas que foram alvo de políticas sociais nos últimos 12 anos. “O governo golpista já anunciou uma série de medidas que vão atingir direitos, como terceirização, privatização em ‘tudo que for possível’, ajustes que travam o crescimento econômico e aumentam o desemprego”, afirma o presidente da Central Única dos Trabalhadores no Ceará, Wil Pereira.


Dentre as medidas propostas por Temer que afetam diretamente a vida dos trabalhadores estão a reforma da previdência e ataque aos direitos trabalhistas, além da desvinculação do orçamento da educação e saúde, suspensão de programas sociais como Minha Casa, Minha Vida, FIES, PROUNI, PRONATEC, criminalização e perseguição dos movimentos sociais.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO