Beberibe – Professores entram em greve por tempo indeterminado


Os professores municipais de Beberibe, Regional Metropolitana, entraram em greve ontem (27) por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia extraordinária no último dia 17. A categoria reivindica para todos os docentes a reposição do reajuste salarial linear de 8,32%, valor mínimo estabelecido pelo Ministério da Educação. A Prefeitura concedera o valor reivindicado somente para os professores com nível Médio; para os demais, o reajuste foi de 6%.


De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindserv) de Beberibe, o reajuste do MEC foi concedido somente aos servidores com nível Médio, que são a minoria (29 efetivos). Aos docentes com graduação, pós e mestrado, que somam 507 profissionais efetivos, a Prefeitura concedeu 6% de reajuste salarial, sem a anuência da categoria. Para reivindicar os 2.32% restantes, informou a entidade, é que essas categorias entraram em greve por tempo indeterminado.


Para Franciedson Oliveira, presidente do Sindserv Beberibe, a não concessão do reajuste linear alterou a valorização da carreira do Magistério no Município, já garantida pelo Plano de Cargo, Carreiras e Salários (PCCS). “Houve a valorização de uma minoria e a desvalorização das demais categorias. No nosso Plano, a diferença do professor com nível médio para o graduado é de 25%. Com o reajuste, ela caiu para 22,4%”, ressaltou.


Hoje (28), a partir das 8h, o movimento grevista se concentrará na praça principal. A partir das 9h, será realizada uma reunião com os presidentes dos Conselhos da Educação e das Escolas e com os pais dos alunos, na escola Benedito Evaristo, no distrito de Serra do Félix. No dia 31, o Sindicato realizará uma assembleia de prestação de contas na escola de ensino profissional Pedro de Queiroz, a partir das 8h.

Campanha Salarial


Para os demais servidores, a Prefeitura concedeu 6% de reposição salarial, valor a ser reajustado a partir de abril deste ano.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO