Após prefeitura oferecer 1,5% de reajuste, professores de Canindé entram em greve


O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Canindé – SINDSEC é a terceira entidade do ramo dos trabalhadores do serviço público municipal do Ceará a indicar calendário de greve nesta semana. Itapiúna e Itapipoca já deflagraram estado de greve e prometem greve geral, respectivamente, a partir do dia 17 e dia 21 de julho. Em Canindé, o impasse reside na proposta de reajuste apresentada pela Prefeitura para os professores de nível superior, que representam a absoluta maioria do grupo. Sendo assim, de acordo com assembleia, realizada na manhã de hoje (14/7), devem iniciar greve.


De acordo com o Plano de Cargos e Carreira (PCC) dos Profissionais do Magistério da cidade, a diferença salarial entre educadores com nível médio e superior deve ser de 40%. Canindé reajustou o salário do nível médio em 8,32% e só oferece 1,5% de reajuste para os professores que têm nível superior.


Segundo Aurenice Santiago, presidenta do SINDSEC, a Prefeitura argumenta que já houve grande reajuste para os profissionais com superior. “Eles dizem que a avaliação de desempenho é reajuste, mas esta política presente no Plano não atende toda a categoria. A avaliação é uma bonificação para quem acumula 150 pontos, de uma série de instrumentais, no período de um ano, conquistando 4,5% de crescimento na remuneração. A prefeitura quer dizer que isso é reajuste e não é”, enfatiza.


Ainda de acordo com Aurenice, a diferença salarial hoje entre médio e superior é de somente 7,22%, bem abaixo do índice determinado no PCC.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO