Servidores de quatro municípios cearenses estão em greve


Servidores públicos municipais de Várzea Alegre, Campos Sales, Iguatu e Aquiraz, filiados a Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), estão em greve, diante das dificuldades encontradas para fechar a campanha salarial 2015.


Em Várzea Alegre, a paralisação, que acontece desde o dia 15 de junho, atinge pelo menos 100 pessoas que ainda ganham menos que um salário mínimo. A medida viola a Constituição de 1988, que fixa que nenhum trabalhador pode receber remuneração inferior ao salário mínimo nacional. Desde sua criação, o Sindicato de Servidores de Várzea Alegre busca negociar o fim da situação, já rechaçada pelos tribunais e pelo Ministério Público do Trabalho. Entretanto, a prefeitura do município se nega a romper o ataque aos direitos dos trabalhadores.


Já em Campos Sales, o grupo que interrompe as atividades é o de professores municipais. Os educadores pleiteiam, desde o início do ano, reajuste salarial de 13,01% para todos os graus de formação – de trabalhadores com nível médio a pós-graduados. O Executivo se negou ao longo dos meses a receber o sindicato de funcionários públicos, o que levou ao estopim da greve, que terá início nesta quarta-feira (24/06).


A situação não é diferente em Iguatu, onde os servidores buscam reajuste salarial, correção do Plano de Cargos e Carreiras – contemplando a ascensão funcional e melhoria salarial –, e pagamento de insalubridade e periculosidade. Nas ruas desde o dia 10 de junho, os funcionários da cidade alegam intransigência por parte da prefeitura. Segundo o Sindicato de Servidores de Iguatu, a situação chegou a este ponto, pois, nos vários encontros com a gestão municipal, foi negada a pauta de reivindicações da classe.


Por fim, em Aquiraz, o movimento, que começou na manhã de ontem (22/6), inclui as categorias com nível médio de formação, entre eles motoristas de todas as secretarias municipais e auxiliares de enfermagens lotados no Programa de Saúde da Família, e as classes de nível superior, como dentistas, enfermeiras, assistentes sociais e outras. Eles reivindicam 8,76% de reajuste, que corresponde ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) dos últimos 12 meses. O Poder Público ofereceu apenas 5%, causando a greve.


Contatos para entrevistas:


Várzea Alegre: (88) 9219.3511 – Erialdo (presidente)


Campos Sales: (88) 9293.9528/96231659 – Edileusa (presidente)


Iguatu: (88) 8843.7030 – Fátima (presidente)


Aquiraz: (85) 9146.8020 – Maria Elisangela (presidente)


Assessoria de Imprensa – Fetamce: Rafael Mesquita (85) 8867.5620


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO