Seis municípios estão em situação crítica devido a problemas nas contas das prefeituras


O governo repassou recomendações para o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e para o Ministério Público Estadual referente aos ex-prefeitos cearenses que deixaram a gestão no último dia 31 de dezembro, mas os ex-administradores não aceitaram o ato.


Os ex-gestores dos municípios de Cedro, Ipu, Itaiçaba, Milhã, Morada Nova e São Gonçalo do Amarante, não conseguiram eleger seus sucessores. Segundo os atuais prefeitos das cidades, devido a circunstância, entregaram os Executivos Municipais em situação crítica.


A falta de informações sobre a real situação das contas das administrações, também é uma das principais reclamações dos atuais gestores.


As denúncias de desmonte nestas prefeituras são recorrentes a dilapidação do patrimônio público até dívidas milionárias das gestões com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).


De acordo com o prefeito de Cedro, Nilson Diniz (PSB), devido ao caos administrativo, há uma insegurança quanto à questão dos serviços essenciais, como a saúde. As escolas do município segundo ele estão, praticamente, sem merenda escolar e a dívida da Prefeitura com o INSS chega a R$ 17 milhões.


Diniz alega ainda que ninguém da Prefeitura deu um parecer para mostrar as contas do município.


Já o prefeito Cláudio Pinho (PSB) do município de Cedro, em São Gonçalo do Amarante, denunciou que somente a dívida da cidade com encargos sociais gira em torno de R$ 22 milhões. Disse ainda que existem atrasos no pagamento dos servidores e acúmulo de remédios vencidos no almoxarifado da Secretaria de Saúde.


Em Itaiçaba, o prefeito, Zé Orlando (PMDB), destacou que todos os sistemas de dados da Prefeitura foram formatados e não foi repassada nenhuma informação com relação a situação contábil da cidade.


No município de Ipu, o prefeito Sérgio Rufino (PSB), diz que não existem ambulâncias funcionando e o pagamento dos servidores está em atraso desde outubro.


O descaso também está na cidade de Morada Nova, em que o prefeito Wanderley Nogueira (PT) acusou a gestão anterior de ter desviado recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

 


Fonte: Ceará Agora


comunicacao@fetamcetmp.org.br


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO