Seis em cada dez cearenses acima de 25 anos não completaram estudos básicos, aponta IBGE

Números também mostram diferença entre nível de acesso ao ensino básico entre jovens brancos e negros

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua da Educação de 2019, divulgada nesta quarta-feira (15), mostram que 59,8% dos cearenses com mais de 25 anos não completaram os estudos. Ou seja, a cada 10 cearenses adultos e idosos, seis têm apenas instrução básica de ensino escolar. A porcentagem é uma soma da quantidade de cidadãos na faixa etária que não concluíram o ensino fundamental (47,2%) e dos que não terminaram o ensino médio (12,7%).

Os números apresentaram queda nos últimos quatro anos. Em 2016, a porcentagem que representava quantas pessoas com mais de 25 anos estavam fora da escola após concluir o ensino fundamental, ou seja, que não terminaram o ensino médio, era de 13,8%. Já a taxa de quem, nesta faixa etária, não tinha instrução ou não terminou de cursar o fundamental era de 51,8%.

A pesquisa, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revela ainda que jovens negros têm menos acesso à educação no Ceará. Dentre eles, 63,5% não completaram os estudos, enquanto a taxa é de 49,6% entre jovens brancos. A discrepância também é percebida nos dados sobre conclusão do ensino superior, já que apenas 9% dos jovens negros têm esse nível de ensino completo. O acesso entre brancos é mais que o dobro, chegando a 20%.

Além da raça, o estudo traz o recorte de gênero para a educação. Homens maiores de 25 anos têm pior escolaridade do que as mulheres; 51,1% deles não têm instrução, apenas 27,1% concluíram o ensino médio e só 9,6% têm ensino superior completo. Segundo a Pnad Contínua, pelo menos 14,2% das mulheres concluíram o ensino superior, 29,1% fizeram o ensino médio e 43,8% não terminaram o ensino fundamental ou não tem instrução básica escolar.

DEIXE UM COMENTÁRIO