Professores franceses fazem dia de paralisação contra 14 mil demissões

Milhares de professores franceses das escolas primárias e secundárias paralisaram as atividades na terça-feira em repúdio ao corte de 14 mil postos de trabalho e a uma proposta de “reforma”, anunciada pelo Ministério da Educação, que denunciam como lesiva, pois suprime direitos salariais e profissionais.


Segundo o Sindicato Nacional de Professores de Secundária, uma das entidades organizadoras da greve, o protesto se estendeu pelos 95 departamentos do país e dialogou com a sociedade sobre o retrocesso da política proposta. Em Paris, os educadores participaram de uma marcha da universidade de Sorbonne até a Praça da Bastilha, levantando cartazes contra o descalabro: “Sempre menos? É preciso que isso mude”.


No ato realizado à noite no teatro capitalino, o candidato à presidência francesa pela Frente de Esquerda, Jean-Luc Mélenchon, declarou que a grande ameaça para o sistema educativo nacional é “a mercantilização do conhecimento e a organização da escola como um mercado”.

Fonte: CUT

Assessoria de Comunicação- FETAMCE
Siga-nos no Twitter > @FETAMCE


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO