Para combater o Novo Coronavírus, é necessário colocar o povo acima do lucro

Sem justiça fiscal e investimento público os fundos necessários para se combater uma pandemia como a do Novo Coronavírus não existem.

Assim, a luta por justiça fiscal e por um crescente orçamento financeiro destinado às políticas públicas é determinante para que a humanidade sobreviva às pandemias e à outras catástrofes como guerras, sobretudo em um contexto de crise econômica.

É por isso que a  Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce) lança a Campanha “Novo Coronavírus – O povo acima do lucro”.

É preciso que fique claro que a vida dos trabalhadores não é mercadoria!

Mas o que seria Justiça Fiscal?

Justiça Fiscal é usar o sistema tributário para reduzir desigualdades.

Cabe aos Governos Federal, Estaduais e Municipais cobrarem mais impostos de quem tem mais grana e menos de quem tem menos.

Isso tem a ver, em estratégia macro, em dar fim aos paraísos fiscais, à evasão fiscal, à corrupção e aos incentivos fiscais infinitos, que não produzem impacto social.

E em uma realidade imediata, diante da crise da Covid-19, com acionar medidas alternativas de financiamento da saúde e das ações emergenciais de socorro à renda das famílias, pensando especialmente nos trabalhadores desempregados e informais e nas pessoas em situação de miséria.

Diferentemente do que vem sendo colocado pelo irresponsável presidente da República e parte do empresariado brasileiro, as medidas de isolamento social e quarenta precisam ser continuadas e fortalecidas, pois só isso, até agora, está contendo a doença no mundo.

A classe trabalhadora – neste caso aqueles que não estão em atividades essenciais – não pode correr o risco de agravar esta pandemia voltando a trabalhar e a tomar as ruas.

Mais uma vez, os pobres não podem pagar a conta da ganância dos ricos, que colocam seus negócios acima das vidas.

Propostas

Sendo assim, nas imagens a seguir, apresentaremos alternativas de arrecadação e de ação! Setor produtivo e gestores públicos precisam se preocupar em adotar medidas de tributação justas e de compartilhamento da riqueza, como a taxação dos super ricos e a revogação da Emenda Constitucional 95, que tira recursos da saúde. Veja!

DEIXE UM COMENTÁRIO