Campanha Brasil Forte convoca para a defesa das estatais e dos serviços públicos

A CUT – Central Única dos Trabalhadores lançou em maio a campanha “Brasil Forte, em defesa de um serviço público e de qualidade e valorização dos servidores e das estatais”. A iniciativa é mais uma ferramenta de luta para os trabalhadores e foi sendo construída nos últimos meses nos encontros do Macrossetor de Serviço Público da Central. Um trabalho coletivo com um objeto bem claro de mobilizar o país contra o congelamento de gastos e as privatizações desencadeados pelo governo Temer. A proposta foi divulgada durante o seminário “Estado, o Serviço Público e as Empresas Estatais no Desenvolvimento com Equidade” realizado em parceria com a Fundação Perseu Abramo, que reuniu em São Paulo dirigentes de entidades cutistas nos dias 16 e 17 de maio. A servidora Socorro Pires representou a Fetamce na atividade.

A iniciativa de integrar as duas atividades foi pensada com a finalidade de reunir lideranças dos setores público federal, estadual e municipal para debater sobre os desafios colocados para estas áreas tendo em vista as medidas do governo golpista que retiram direitos dos trabalhadores e levam ao desmonte do Estado brasileiro. Os participantes puderam debater e pensar em caminhos de lutas tendo como referência temas como o papel do estado e dos serviços públicos no país que queremos, a situação pós Emenda Constitucional 95 e sua austeridade neoliberal, o papel da Seguridade Social e os ataques que vem sofrendo, a importância dos serviços públicos, das estatais e da educação pública com qualidades, além da Privatização e Terceirização nas Empresas Estatais e os Impactos para o desenvolvimento e a soberania nacional.

O Seminário é o primeiro de uma série de quatro encontros idealizados a partir de parceria com a Fundação com o objetivo de construir junto aos Ramos uma plataforma com os interesses da classe trabalhadora. Todo este arcabouço teórico tem também a finalidade de auxiliar nas lutas das diversas categorias representadas pela Central e no diálogo com a sociedade para que a população compreenda este momento de desmonte de direitos e se una na luta. A campanha Brasil Forte, neste sentido, propõe que a defesa das estatais e dos serviços públicos seja comproeendida como uma das formas de defender o país. Ela vai além de agregar as três esferas de servidores públicos, pois entende que só a unidade de todos os trabalhadores e a mobilização nas ruas poderão reverter a EC 95 e assim derrubar o congelamento nos investimentos sociais, como saúde e educação, que aponta para o fim de serviços e políticas públicas e abre a possibilidade das privatizações em vários campos que hoje são exclusivos do setor estatal.

A Central também realizará atos de lançamento da campanha nos Estados. Já há um calendário definido para isto sendo discutido com as CUTs estaduais com datas a partir de junho. O secretário geral da CUT, Sérgio Nobre, em entrevista concedida ao site da Central, enfatizou a importância da unidade na ação. Disse, ainda, que a defesa das estatais não é só responsabilidade dos servidores ou dos trabalhadores das estatais, mas, sim, de todo os trabalhadores. “Os recursos das empresas estatais, como a Petrobras, por exemplo, seriam destinados para saúde e educação do povo brasileiro. O mesmo acontece com os bancos públicos, fundamentais para o desenvolvimento que precisamos, porque os privados não querem emprestar dinheiro para pobre”, explicou Nobre, que finalizou: “libertar o presidente Lula é nossa esperança para recuperar os direitos e derrotar o golpe”.

Com informações da CNTSS/CUT

DEIXE UM COMENTÁRIO