Aumenta a taxa de desemprego


Em fevereiro,  a taxa de desemprego no conjunto de Regiões Metropolitanas acompanhadas pelo Sistema PED – Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo – foi de 10,3%, 0,8 ponto percentual maior que a apurada em janeiro (9,5%). O crescimento da taxa é esperado para o período, uma vez que a queda verificada  nos últimos meses do ano é, normalmente, seguida por  desempenho mais modesto no mercado de trabalho dos primeiros meses do novo ano. O total de desempregados é estimado em 2.158 mil, 174 mil a mais que no mês anterior. Em relação a fevereiro de 2013, também houve crescimento no número de desempregados, mas mais modesto (33 mil pessoas). A taxa de desemprego em fevereiro do ano passado foi igual à apurada neste ano (10,3%). 


No conjunto de regiões pesquisadas, em fevereiro, foram desativadas 119 mil vagas, com uma queda de 0,6%.   O setor Serviços, com o fechamento de 96 mil postos (-0,9%) e a Indústria, com a eliminação de 21 mil vagas (-0,7%), além da Construção Civil (com a desativação de 17 mil empregos, ou variação de -1,1%) foram determinantes para o desempenho negativo no mês. Frente a fevereiro do ano passado, houve crescimento de 0,8% no total de postos, que atingiu assim 18.719 mil.  


A Indústria de transformação foi a principal  responsável pelo desempenho negativo do mercado de trabalho metropolitano tanto no mês (- 21 mil postos ou retração de 0,7%) quando em 12 meses (75 mil vagas desativadas e queda de 2,6% no nível de ocupação setorial). Foi intensificado, no mês, o fechamento de vagas no setor Serviços (- 96 mil), registrando, assim, um recuo de 0,9%.  Em 12 meses porém, foram abertas 139 mil vagas, com incremento de 1,4%.  A Construção civil, apesar de manter desempenho positivo em um ano, com abertura de 37 mil postos (2,5%), teve eliminação de 17 mil vagas no mês (-1,1%).  No Comércio e Reparação de Veículos Automotores e Motocicletas houve relativa estabilidade no mês (0,1%), com a abertura de 4 mil postos. Em 12 meses foram criadas 35 mil ocupações, o que representa um crescimento de 1,0%. 


No primeiro mês de 2014, o rendimento médio real diminuiu 1,2%, para os ocupados  e não variou para os assalariados, frente ao dado de dezembro de 2013. Seus valores monetários passaram a equivaler a R$ 1.688 e R$ 1690. Em comparação com janeiro do ano passado houve elevação de 2,7% para os rendimentos médios reais dos ocupados e de 2,8%, para o salário médio


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO