Após greve, prefeitura de Independência persegue sindicato de servidores


O prefeito de Independência, Luis Valterlin Coutinho, atacou o direito à organização dos servidores da cidade após movimento grevista encerrado em abril, ao conseguir a aprovação na Câmara da cidade, no dia 15 de maio, de mensagem que autoriza o Executivo a acabar com o desconto de contribuição sindical dos sócios do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais local em folha de pagamento. A medida aguarda somente sanção.


Mas esta não foi a única medida punitiva da gestão pública, que tenta operar o desmonte do sindicato, segundo a presidente da organização laboral, Rosilene Gonçalves de Oliveira. Durante a greve, em abril, a Prefeitura entrou na Justiça, tentando levar o movimento à ilegalidade e violando o direito de greve da classe trabalhadora. Além disso, o prefeito está forçando servidores de carreira em cargos comissionados a pedir desfiliação do sindicato.


Rosilene alega que todos foram pegos de surpresa, pois, após a ação paredista, a prefeitura havia voltado a negociar com o sindicato. “Inicialmente, em nossa greve, queríamos que fosse retomada a mesa de negociação”, explica a dirigente. Os servidores chegaram a conseguir implantar, via negociação, o pagamento do salário mínimo para trabalhadores que ainda recebiam menos que isso; uma progressão de 2%; e reajuste para os professores de nível médio, de 13,01%. Mas, com início da perseguição, ficou pendente a melhoria salarial dos demais níveis de formação dos professores e a evolução na remuneração de servidores que estão há 12 anos sem reajuste, que, neste caso, é desde quando ingressaram no serviço público.


“A gente avalia tudo isso como uma perseguição contra a entidade sindical representativa dos servidores. Esse projeto de lei aprovado fere o princípio de liberdade sindical. Isso é imoral, é uma violação de diretos e da luta sindical como um todo”, protesta a presidente do Sindicato de Servidores.


Mediação


Ciente da questão, a Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce) apoia a luta dos trabalhadores de Independência e está prestando apoio ao Sindicato. “Tentaremos mediar para reverter essa ação truculenta do município, mas se não tivermos êxito no debate, levaremos o tema para justiça, pois esta é, claramente, uma prática antisindical”, argumenta Enedina Soares, presidenta da entidade estadual. 


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO