4 mil vão às ruas de Fortaleza em defesa da Democracia, da Petrobras e contra o ajuste fiscal


Mobilizadas pela Frente Brasil Popular no Ceará, cerca de quatro mil pessoas ocuparam as ruas do Centro de Fortaleza durante toda a manhã deste sábado (3/10), para se unir à mobilização em todo o País em defesa da Democracia, da Petrobras e contra o ajuste fiscal. Da Praça da Lagoinha à Praça do Ferreira, o verde, o amarelo e o vermelho dos manifestantes coloriram o caminho e levaram esclarecimentos à população sobre as ameaças sofridas pela maior estatal do Brasil, que acaba de completar 62 anos.


“Através do Regime de Partilha, conseguimos garantir que a riqueza produzida pela camada do Pré-Sal seja investida aqui no Brasil. Como tentamos mostrar à população através de distribuição de panfletos informativos, o petróleo é hoje passaporte para a educação pública de qualidade e avanços nos investimentos em saúde. Não podemos, de forma alguma, abrir mão disso”. Foi o que explicou o presidente da Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE), Wil Pereira, referindo-se à Lei 12.351/2010, que criou regras para a exploração do Pré-Sal.


Ataque à soberania nacional


Para todos os que fazem a Frente Brasil Popular, incluindo a CUT-CE e a Federação dos Trabalhadores dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), a soberania brasileira tem sido ferida com a tentativa de desvalorização e sucateamento de uma das maiores empresas do mundo. Em todo o País, os manifestantes foram às ruas neste sábado também para tentar barrar a aprovação do Projeto de Lei 131/2015, que visa diminuir a participação da Petrobras no regime de partilha do petróleo.


O petróleo e o pré-sal pertencem ao povo brasileiro, e são riquezas que devem se transformar em investimentos sociais, beneficiando o povo, tendo em vista aprovação da destinação dos royalties para educação e saúde. Em Fortaleza, entre dezenas de sindicatos, federações, centrais e movimentos populares, estiveram presentes no ato político: CUT-CE, CTB, Fetraece, Fetamce, CNM/CUT, MAB, UBM, Motu, Casa de Defesa e Cultura da Mulher Chiquinha Gonzaga, MST, Via Campesina, Levante Popular da Juventude, UNE, UJC, UJS, Movimento Democracia Participativa, Movimento Mulheres com Dilma, MCP, Mova-se, Apeoc, Sindipetro CE-PI, Sindmetal-CE, SEC-Fortaleza, PT e PCdoB. O Dia de Mobilização Nacional envolveu manifestações em vários estados brasileiros durante todo o dia.


“É necessária e benéfica essa unidade entre movimentos populares e sindicais e a esquerda. Só assim garantiremos avanços na pauta dos direitos dos trabalhadores. No próximo dia 11 de novembro, levaremos essas bandeiras adiante, através de uma mobilização da Fetamce em defesa da justiça fiscal, do desenvolvimento local e dos investimentos públicos. Queremos debater com os três níveis de Governo – federal, estadual e municipal. Todos já estão convidados. As atividades serão na Praça da Bandeira e Praça do Ferreira, mais dois dias de debate sobre o tema”, disse Enedina Soares, presidente da Fetamce.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO