Servidores municipais protestam na Assembleia Legislativa do Ceará


Servidores municipais de Iguatu e Independência estiveram hoje (14/7) na Assembleia Legislativa do Ceará para solicitar apoio dos deputados da Casa para os problemas enfrentados em suas respectivas cidades.


Em Iguatu, os funcionários públicos estão em greve há 34 dias e pleiteiam a reformulação do Plano de Cargos e Carreiras do Serviço Público, com a criação da progressão salarial e do adicional de titulação. A prefeitura oferece apenas uma progressão a cada três anos.


Há divergência também na proposta da gestão pública para o adicional de insalubridade. Os trabalhadores iguatuenses pedem o benefício nos percentuais de 10%, 20% e 30%, enquanto o Executivo oferece apenas 5%, 10% e 20%.


Segundo a presidente do Sindicato de Servidores de Iguatu, Fátima Siqueira, 60% das categorias estão paralisadas, atingindo todas as secretarias, com exceção apenas dos professores, que já fecharam a campanha salarial.


Já em Independência, o problema é a perseguição da prefeitura ao sindicato. Conforme Rosa, presidente da entidade sindical de base, a gestão cortou o desconto em folha da contribuição sindical dos servidores, atingindo diretamente as condições de funcionamento da entidade. Segundo ela, o poder público enviou para a Câmara projeto que revogou Lei Municipal que garantia o desconto da mensalidade sindical.


Ainda na tarde de hoje, uma comissão de trabalhadores de Independência se reunirá com a assessoria jurídica da Fetamce para ver alternativas para a questão.


Deputados


Durante a sessão plenária, vários deputados fizeram menção ao pleito das entidades, atendendo o apelo de pelo menos 50 trabalhadores de Iguatu que ocupavam a galeria da Assembleia.


Elmano de Freitas e Renato Roseno foram mais enfáticos e usaram o tempo na Tribuna legislativa para destacar os problemas enfrentados pelos servidores das localidades. “Essa Casa é solidária à luta sindical dos servidores públicos municipais e vamos ajudar sim a mediar essa situação. Não admitiremos que os prefeitos cearenses ataquem dessa forma esses homens e mulheres lutadores”, enfatizou Elmano.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO