Servidores municipais de Fortaleza aprovam estado de greve contra reformas

Na última segunda-feira (15), os servidores municipais protestaram novamente em frente ao Paço Municipal e aprovaram estado de greve contra a reforma da Previdência na Prefeitura de Fortaleza. Na semana passada, o prefeito Sarto Nogueira (PDT) enviou à Câmara de Vereadores duas mensagens em regime de urgência que compõem a parte inicial do projeto de reforma da Previdência. Além do estado de greve, os servidores também aprovaram uma nova ida a Câmara na próxima quarta-feira (17) pela manhã, com carreata e bicicletada (concentração às 8h em frente a CMFor). (veja imagens do ato AQUI)

O ato desta segunda-feira foi convocado pelo Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort) e contou com a participação de outras entidades sindicais como o Sindiute, CUT, Sindsaúde, Sinasce e Fetamce.

Na semana passada, também durante protesto em frente ao Paço, uma comissão de dirigentes sindicais foi recebida pelo titular da Coordenadoria Especial de Articulação Política, Ésio Feitosa. Na conversa, ele se comprometeu a informar até dia 12 de fevereiro uma data para reunião da Mesa Central de Negociação Permanente.

Porém, somente hoje durante o ato a reunião foi agendada para próxima segunda-feira (22). As entidades sindicais, inclusive o Sindifort, estão pedindo a antecipação da reunião para a quinta-feira (18), tendo em vista que a reforma já foi encaminhada na Câmara em regime de urgência. Na reunião da Mesa Central, também será discutido o reajuste salarial da categoria, cuja data base aconteceu em 1º de janeiro.

Reforma foi enviada à Câmara sem discussão alguma com entidades sindicais

Para o Sindifort, o envio acelerado da reforma evidencia a falta de compromisso do prefeito Sarto com os servidores. No dia 20 de janeiro, quando o Sindifort entregou a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2021 ao prefeito, ele garantiu que agendaria uma reunião para discutir as reivindicações da categoria, sendo uma das principais pauta a questão da reforma da Previdência. No entanto, Sarto enviou a reforma para ser votada sem se reunir com o Sindifort ou qualquer entidade sindical.

As duas mensagens que compõem a parte inicial do projeto de reforma da Previdência chegaram à Câmara no dia anterior à votação e depois das 17h. Uma das mensagens, a de número 004/21 e que trata das questões relativas à aposentadoria dos servidores, previdência complementar e outros pontos, foi aprovada nesta segunda-feira (15) em 1º turno com 31 votos a favor e 9 votos contra. Já a outra, 002/21, que traz vários prejuízos como o fim dos anuênios e licença prêmio, não foi votada em plenário, mas tramita em comissões.

Além da questão previdenciária, o Sindifort e outras entidades sindicais também cobram da Prefeitura o reajuste salarial assegurado em lei, reivindicando 4,52% referente à inflação de 2020 (IPCA) e a negociação dos demais pontos da campanha salarial 2021.

DEIXE UM COMENTÁRIO