Rumo das greves em Nova Russas e Independência será definido hoje


Os servidores municipais de Nova Russas e Independência, Regional de Iguatu, definem hoje (16) se os movimentos grevistas continuam em seus municípios. À tarde, os vereadores de Nova Russas votam projeto da Prefeitura com as propostas de reajustes para os professores; às 19h, no salão paroquial da Igreja Matriz de Independência, está marcada uma assembleia dos servidores.


Servidores de Nova Russas em assembleia


Imagem: servidores municipais de Nova Russas em assembleia da última quinta-feira (12) Crédito: Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Nova Russas


De acordo com José Milton, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Nova Russas, a Prefeitura negociou com os docentes o reajuste salarial de 8%, retroativo a janeiro, o primeiro reajuste negociado neste ano. Segundo o Sindicato, a atual gestão vem quitando as dívidas da folha de pagamento de novembro e dezembro do ano passado, o que dificulta negociações por maiores reajustes no momento.


Ainda em Nova Russas, aos servidores do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) foi negociado reajuste de 6,19%, retroativo a janeiro.


Para os profissionais da saúde e os administrativos, a gestão ficou de apresentar proposta amanhã (17), na sede da Prefeitura.


Independência

Os servidores do Município, que está em estado de greve, deliberam hoje, às 19h, o rumo do movimento.


João Teixeira, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Independência, informou que os servidores lutam pelo pagamento do piso salarial do Ministério da Educação (MEC), referente à portaria de abril deste ano e pela atualização do Plano de Cargos e Carreiras do Magistério.


Segundo o sindicalista, o plano instituiu a diferença entre as classes até 22%, valor a ser alcançado ano após ano. Implantado em 2009, o plano começou com a diferença de 12%, mas, ao invés de aumentar, diminuiu ano a ano. Em 2012, a diferença entre elas chegou a 3%.


Também cobra-se  o cumprimento do 1/3 das horas/aula para o planejamento e os adicionais de polivalência.

Aos profissionais de saúde, é cobrada a implantação do plano de carreiras.

 


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO