Dia Mundial de Luta contra a Aids: é preciso conscientizar

Com intuito de promover troca de informações e experiências, além de conscientizar a população, o dia 1º de dezembro é considerada a data Mundial de Luta contra a Aids.

Segundo dados de 2019 do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), aproximadamente 38 milhões de pessoas estão vivendo em todo o mundo com HIV.  No Brasil, conforme o Ministério da Saúde, 920 mil pessoas com HIV. Quando a epidemia de Aids começou há cerca de 40 anos, milhares de pessoas perderam suas vidas sem explicação, com a evolução do tratamento e da compreensão a respeito da doença, hoje pacientes podem ter uma vida normal mantendo a doença controlada.

A transmissão do HIV se dá principalmente por via sexual, seja anal, vaginal ou oral. Outras formas de transmissão são por meio de sangue contaminado, uso de drogas injetáveis, canudos ou cachimbos, compartilhamento de instrumentos, não esterilizados, que furam ou cortam, por meio da transmissão vertical de mãe para filho ou na amamentação. Vale ressaltar que, mesmo assintomático, o portador do HIV pode continuar a transmitir o vírus.

Mais vulnerável, o organismo fica sujeito a diversos agravos, chamadas infecções oportunistas que vão de um simples resfriado a infecções mais graves como tuberculose ou câncer.

Como é contraída? Sexo vaginal sem camisinha; Sexo anal sem camisinha; Sexo oral sem camisinha; Uso de seringa por mais de uma pessoa; Transfusão de sangue contaminado; Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação; Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

Assim não contrai: Sexo desde que se use corretamente a camisinha; Beijo no rosto ou na boca; Suor e lágrima; Picada de inseto; Aperto de mão ou abraço; Sabonete/toalha/lençóis; Talheres/copos; Assento de ônibus; Piscina; Banheiro; Doação de sangue; Pelo ar.

Atendimento: Informe-se sobre teste de HIV em uma Unidade de Saúde mais próxima à sua residência.

DEIXE UM COMENTÁRIO