Crato inicia aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19 nos profissionais de saúde

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Crato (SINDSMCRATO) informa que foi iniciada, no dia 15 de fevereiro, a aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19 nos profissionais da atenção primária na saúde da cidade. A vacinação dos profissionais foi encetada pela equipe da Estratégia de Saúde da Família de D. Quintino, na Zona Rural do município.

De acordo com Oldack Cezar, vice-presidente do SINDSMCRATO e secretário de Saúde do Trabalhador da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), a questão era muito importante e aguardada pelos servidores da saúde locais, que estavam preocupados se teriam a segunda dose no tempo preconizado.

“Desde a semana anterior, iniciamos as abordagens e cobranças junto às coordenações e Secretaria de Saúde municipal. Sabemos da importância de respeitar o tempo das administrações das doses. Precisamos continuar enquanto agentes sindicais, a fiscalizar a oferta dos equipamentos de proteções individuais para todos os profissionais de saúde e dos serviços essenciais em quantidade e qualidade, como também continuar a fazer o trabalho educativo da população a iniciar pelos núcleos mais próximos como da família e trabalho. A pandemia não acabou e muito nos preocupa enquanto profissionais porque a população está exausta, não estamos habituados a enfrentar catástrofes de qualquer natureza e guerras, e ainda temos o agravante de não termos a disciplina e a educação necessárias para esse grave enfrentamento. Não podemos esmorecer diante deste incansável combate”, afirma o dirigente.

Má administração em nível Federal

O Sindicato avalia também que é inadmissível que o Governo Federal tenha demorado tanto tempo para negociar a aquisição das vacinas, que já deveriam ter ocorrido no meio do ano de 2020, o que levaria, nesse momento, a uma maior oferta de doses do imunizante para a população e, consequentemente, um sistema de saúde mais desobstruído para atender os casos mais graves.

“O nosso SUS a cada dia mostra seu valor e sua força, mas todos os dias sofre ataques e desfinanciamento por parte do Governo Federal. Se tivéssemos investimentos adequados estaríamos em melhor situação”, destaca Oldack.

O sindicalista lembra que hoje, ao invés de valorização dos trabalhadores que combatem a pandemia, tem-se a solicitação de urgência da reforma administrativa a nível federal e nos municípios as reformas de previdências locais, que mais uma vez retiram direitos e desvalorizam os servidores públicos. “Os mesmos servidores que arriscam suas vidas todos os dias no combate à Covid-19 e que se quer recebem seu adicional de insalubridade, que deveria ser de 40%, na maioria dos municípios brasileiros e também aqui no Crato”, exemplifica o vice-presidente do SINDSMCRATO.

O real culpado

A quantidade pequena de vacinas vem gerando insatisfação na população. Diante disso, alerta a representação classista cratense, alguns agentes públicos oportunistas atribuem a culpa da falta desses imunizantes aos estados e municípios, quando o maior culpado é o “genocida do presidente da República”, que apostou, inclusive, em medicamentos ineficazes contra a doença ao invés de ir em busca das vacinas, assim como mantém um comando militarizado e inoperante no Ministério da Saúde. “Estes mesmos agentes deviam assumir que foram eles mesmos que apoiaram esse maluco que se diz presidente e inclusive financiaram carreatas no Ceará e aqui no Cariri”, finaliza Oldack.

DEIXE UM COMENTÁRIO