Vilani Oliveira é homenageada na Assembleia Legislativa do Ceará


Por meio de requerimento da deputada estadual Raquel Marques (PT), uma sessão solene homenageou alguns professores cearenses ontem (17), na Assembleia Legislativa do Ceará, em Fortaleza, pelo Dia do Professor. Entre os homenageados, Vilani Oliveira, presidenta da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam) e professora municipal de Maracanaú.



Raquel enalteceu o trabalho dos professores para o desenvolvimento do aluno e leu um breve histórico da luta sindical de Vilani antes de lhe entregar a placa de homenagem. Vilani agradeceu e afirmou que o reconhecimento se estende a todos os professores que estão na luta sindical. “Dedico essa homenagem a todos os professores sindicalistas, que abdicam da vida pessoal em prol da coletividade. Nossa sala de aula se ampliou e ganhou espaços maiores, como as praças e as ruas”, disse.


A cearense Vilani Oliveira sempre sonhou em ser professora. Ela leciona há 23 anos e já trabalhou com a Educação Infantil e a de jovens e adultos. Sua experiência lhe fez observar que os alunos procuram a escola pelos motivos mais diversos. Emocionada, ela lembra de dona Carminha, uma ex-aluna, que, então com 60 anos, era classificada como analfabeta em sua carteira de identidade e procurou a escola para poder tirar uma nova carteira como alfabetizada. Sua dedicação lhe rendeu frutos. Ela aprendeu a ler e tirou a nova carteira, agora, como alfabetizada.


Como aluna, a professora conta que uma das maiores lições de vida que recebeu foi a de um professor: seu pai. Trabalhador rural, ele cuidava de um sítio cujo dono dava para ele o direito de poder tirar três litros de leite por dia para a sua família. Um dia, Vilani perguntou ao pai porque ele não tirava mais leite, já que os 3 litros seriam insuficientes para os 14 filhos. Seu pai respondeu que o combinado com o patrão eram apenas 3 litros. Ela insistiu: mas o doutor não está aqui… Ao passo que seu pai lhe afirmou: mas esse foi o combinado.


A lição de honestidade é guardada com carinho e orgulho pela professora Vilani. Hoje, mulher sindicalista, ela acredita na construção de um novo homem e de uma nova mulher e, quando vê uma pequena mudança, dá-se por satisfeita “O mundo está constantemente em mudanças e as pessoas são passíves de sofrerem essas metamorfoses”, acredita.

 


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO