Servidores municipais realizarão campanha educativa na 15ª Parada pela Diversidade Sexual


Com o tema “Serviço Público de Todas as Cores: construindo a igualdade de oportunidades através do combate à homofobia, ao racismo e à violência contra a mulher” a Federação dos Trabalhadores(as) no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce) apresenta sua campanha de mobilização e discussão da diversidade sexual, dentro da programação da 15ª Parada pela Diversidade Sexual do Ceará, que será realizada no 16 de novembro de 2014, na Av. Beira Mar. Neste ano, o destaque fica para o trio elétrico da Fetamce na atividade e para a presença de servidores municipais de 156 cidades do Ceará, que realizarão mobilização educativa contra a homofobia.


A Parada está no calendário oficial de Fortaleza e do Estado do Ceará, através de leis aprovadas por solicitação do movimento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) e é coordenada pelo Grupo de Resistência Asa Branca (GRAB), ONG que atua há 25 anos nas lutas sociais pelos Direitos Humanos.


O evento vai de encontro com um dos principais focos da Fetamce, que é contribuir para a construção de uma sociedade mais justa, democrática, fraterna e sustentável. Na oportunidade, a Federação irá levar a todos o debate sobre as questões que envolvem desde o direito à livre orientação sexual, como também as formas de garantia desta cidadania.


“Os servidores municipais mergulham, assim, no universo cultural e político e trazem à memória de todos os embates contra o preconceito. É também oportunidade de lembrar os mais de 30 anos de ações pela diversidade sexual no Brasil”, enfatiza Rafael Fernandes, secretário LGBT da Fetamce.


Enfrentamento à homofobia


Mais uma vez o foco principal da Parada é o fim da violência contra a população LGBT. Segundo a ONG Grupo Gay da Bahia, em 2013, o número de assassinatos de homossexuais chegou a pelo menos 312 — o que corresponde a uma morte a cada 28 horas. Em 2014, o número de mortes já atinge 216. A região com mais casos é o Nordeste, que concentra 43% dos crimes.


Assim sendo, a homofobia pode ser classificada como um crime de ódio, podendo e devendo ser punida; mas, antes de tudo, combatida.


Porém, a questão não é tipificada como crime no Brasil, mas pode tornar-se, caso o Congresso Nacional aprove proposta nesse sentido. Em 2006, a Câmara dos Deputados aprovou o PL 5003/01, que criminaliza a homofobia. Atualmente, a proposta está no Senado (PLC 122/06), onde tramita em conjunto com a Reforma do Código Penal (PLS 236/12).


Localização


A Parada terá o mesmo local dos anos anteriores, ou seja, a Avenida Beira-Mar, com concentração às 13h, em frente à barraca do Joca e saída às 15h, em direção ao aterro da Praia de Iracema. O encontro faz alusão ao Dia Mundial do Orgulho Gay e LGBT, que é uma das datas políticas dos movimentos sociais LGBT.


O Seminário temático da Parada acontecerá na quarta-feira, 12 de novembro, à tarde, no teatro SESC Emiliano de Queiroz e a Feira Mix e Exposição LGBT voltam à Praça do Ferreira e ocorrerão nos dias 13 e 14 de novembro.


Trios


09 (nove) trios elétricos estão pré-inscritos, tendo o prazo até esta sexta-feira, 07 de novembro, para confirmar a participação na Parada.


Outras informações:


GRAB – (85) 3226.6761


FETAMCE – (85) 3226.1788



Rafael Mesquita

Jornalista


MTb CE 2432 JP


(85) 8867.5620 – Tim


(85) 9920.0333


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO