Sem acordo com gestão, professores municipais de Crateús farão paralisação em prol de reajuste salarial


 


Na manhã da última quarta-feira, 17 de abril, houve nova rodada de negociação – a terceira – entre a administração municipal de Crateús e o Sindicato dos Professores. A categoria luta para manter, pelo menos, as conquistas do ano passado, quando travou ferrenha disputa com a gestão e conseguiu avançar no cumprimento da lei que criou o PCCR do magistério no município, que prevê uma diferença salarial de pelo menos 25% entre os professores graduados e os de nível médio. Atualmente, esta diferença é de apenas 17%.


 


A categoria reivindicava inicialmente 16% de reajuste salarial, o que possibilitaria o cumprimento integral da lei do PCCR, mas aceitou reduzir o porcentual requerido para 8%, assegurando a manutenção dos atuais 17% na diferenciação salarial entre os níveis superior e médio. A gestão municipal, contudo, propôs 6,77% de reajuste, concordando elevar a proposta a apenas 7% na reunião de hoje.


 


A nova proposta da gestão foi rejeitada pelos professores, que aguardavam o resultado da negociação na própria Secretaria de Educação, em assembleia realizada logo depois da reunião entre a secretária da Pasta e os representantes do Sindicato. A categoria deliberou, ainda, por realizar paralisação entre quarta e sexta-feira da semana que vem. Na sexta-feira (26), haverá nova assembleia e outras deliberações podem ocorrer. Greve geral não está descartada.


 


Fonte: Sindicato dos Professores de Crateús.


 


Assessoria de Comunicação


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO