Reajuste de salário vira tema de Tribuna Popular na Câmara Municipal Sobral


Na Sessão Ordinária realizada nesta terça-feira (26), no Plenário da Câmara Municipal de Sobral, a Tribuna Popular foi ocupada pelo presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Sobral (Sindsems), Célio Brito, que apresentou os argumentos de defesa da campanha salarial dos servidores municipais. Na ocasião, o Presidente da Câmara Vereador Itamar Ribeiro (PSB), convidou o Secretário Municipal Educação de Sobral (SME), Júlio César da Costa Alexandre, para compor a mesa e tecer explicações ao assunto apresentado na Tribuna Popular.


A iniciativa popular foi para justificar o reajuste linear para os servidores de 15%, baseado no índice de aumento nominal do salário mínimo em 9% acrescido de 6% de incentivo na recuperação inicial das perdas de salário acumuladas. Bem como, defender o valor do Piso Nacional do Magistério na 1ª Referência do Plano de Carreira dos professores da rede municipal de ensino, uma vez o que o piso municipal esta abaixo do divulgada pelo MEC.


Segundo o sindicalista, Célio Brito, “Os vereadores devem tomar conhecimento da ansiedade dos servidores em terem seus salários reajustados. Mas, a luta não é apenas por melhores salários, mas também por melhoria nas condições de trabalho, concurso público, e outros adicionais”. Afirmou.


Além disso, também foi debatida a necessidade da extinção do redutor de vagas para ascensão no Plano de Carreira da Guarda Civil Municipal (PCCR), que impede as promoções dos profissionais da Guarda Municipal.


Por fim, tratou do não pagamento dos mais 800 professores que tem contratos temporários com a secretaria municipal da educação, que se queixam do prefeito não ter efetuado o pagamento integral dos salários referente a janeiro, pagando apenas 15 dias de trabalho. No entanto, alegam que seus contratos foram todos assinados apartir de (2) de janeiro.


Para o secretário, Júlio César, compreende a luta do sindicato tanto que vêm realizando projeções importantes para adequar as reivindicações que inclui o piso na referencia inicial do plano. Embora, preocupado com a desaceleração da economia proveniente dos efeitos da crise mundial, que consequentemente reflete na queda de receita do FUNDEB que compromete os investimentos na política de valorização da educação.


Quanto ao concurso publico o secretário colocou que a gestão municipal não se opõe a esta bandeira de luta do sindicato, tanto que já vem realizando gradativamente concursos para preenchimento efetivo de professores, basta reverem a quantidade e o espaço de tempo que realizaram.


As reivindicações dos trabalhadores demonstram por sua vez o quanto é necessário uma política de investimentos na valorização dos vencimentos e remunerações dos servidores municipais.


Fonte: Ascom Sindisems.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO