Nota de apoio aos servidores municipais de São Leopoldo


A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal – CUT (Confetam/CUT) reforça apoio aos servidores da Saúde e professores de São Leopoldo (RS) que estão presos, neste momento, na Prefeitura da cidade. Em greve há 38 dias, as categorias tiveram reunião com o prefeito nessa quinta-feira (9), quando o gestor ofereceu parcelamento do reajuste de 2015 em três anos. A proposta foi negada e cerca de 25 servidoras permaneceram na Prefeitura em protesto. O prefeito Aníbal Moacir (PSDB), numa postura intransigente e antidemocrática, acionou a Polícia Civil, que está mantendo as servidoras no sétimo andar do prédio e ameaçando usar de violência para retirá-las do local.


 


O Ceprol Sindicato dos Professores Municipais Leopoldenses já demonstrou disposição para negociar, tendo inclusive acatado a proposta de reposição salarial seguindo o percentual do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que é de 8,42%. Entretanto, não é aceitável esperar até 2019 para receber integralmente um reajuste de 2015.


 


Enquanto entidade representativa presente em 17 estados, a Confetam/CUT repudia toda e qualquer ação violenta contra a classe trabalhadora. A Constituição Federal garante que todos podem se manifestar livremente. Os servidores municipais estão cientes dos seus direitos e vão resistir ao autoritarismo do prefeito Aníbal Moacir (PSDB).


 


Fortaleza, 10 de julho de 2015.


 


Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal – CUT


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO