Grupo ateia fogo em acampamento do MST no Ceará

Na noite desta terça-feira (30), por volta das 19 horas, o acampamento Comuna Irmã Dorothy, localizado em Tamboril, Ceará, foi incendiado. De acordo com os acampados, quatro homens se aproximaram, atearam fogo próximo aos barracos e saíram correndo aos gritos, subiram em motocicletas e evadiram-se do local.

As 150 famílias acampados viveram momentos de terror, mas conseguiram controlar o fogo. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados. Fizeram diligencias, mas ninguém foi encontrado.

O acampamento Irma Dorothy é uma ocupação realizada pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) há quatro anos. Os acampados estão reivindicando a desapropriação da fazenda Cacimbinha Unicacio, pertencente à família Timbó. Nestes período de acampamento já ocorreram diversas audiências com a Secretaria das Cidades e Instituto do Desenvolvimento Agrária do Ceará (IDACE), do Governo do Estado do Ceará, e o Instituto de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), que estão realizando vistorias em áreas na região para realizar o assentamento das referidas famílias.

Após o atentado ao acampamento, que as famílias acreditam ser criminoso, diversos setores da sociedade civil de Tamboril estão no local prestando solidariedade.

O MST disse que atitudes como esta, de ódio e violência, rasgam a democracia. O problema agrário não se resolve com violência e sim com politica pública. O Movimento irá tomar todas as providências cabíveis para o momento. Afirmamos que continuaremos resistindo e lutando pela desapropriação de latifúndios improdutivos.

Fetamce solidariza-se com acampados

A presidente da Fetamce, Enedina Soares, solidariza-se com os integrantes do acampamento e com o MST, vítima de mais um atentado político. De acordo com a sindicalistas, após a eleição de Bolsonaro, diversos grupos conservadores se investiram de coragem de agredir, matar e ameaçar movimentos sociais e populações oprimidas, como negros, LGBTI+ e mulheres.

“Mais do que nunca, precisamos estar vigilantes e organizados para enfrentar essa onda de ódio que toma o país, reforçada pelas declarações do presidente eleito. Não podemos admitir que a democracia seja atacada dessa forma. A Fetamce está totalmente ao lado das família e do movimento sem terra. Combateremos o retrocesso juntos e juntas”, diz a dirigente.

Acompanhe vídeo do momento:

https://www.facebook.com/418609048344659/videos/1201146320024565/

DEIXE UM COMENTÁRIO