Experiências sindicais da Fetamce são debatidas em plenária da FETAM/RN

A Federação dos Trabalhadores em Administração Pública Municipal do Rio Grande do Norte (FETAM/RN) realizou nos dias 8 e 9 de setembro, em Assu, a plenária da entidade. O tema central do evento foi: “Pela Manutenção e Ampliação dos Direitos”.

O desafio do encontro foi dialogar com os sindicatos de servidores e professores municipais do Rio Grande do Norte os desafios do movimento sindical, no geral, e da luta trabalhista dos funcionários públicos, em específico, nesta conjuntura de desmonte dos direitos e da Democracia.

A secretária de administração e finanças da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), Nadja Carneiro, representou a organização no evento e também integrou o debate.

A dirigente cearense apresentou as experiências da Federação, tratando especialmente das lutas travadas antes e depois do Golpe de 2016, tendo em vista que é neste contexto que se dá a batalha por manutenção de conquistas sociais e trabalhistas, em meio à destruição da Democracia, que é liderada pela burguesia nacional e internacional.

“Para alcançar o imediato reestabelecimento da democracia com a retirada do Temer é preciso unidade na esquerda e nas forças progressistas, dos movimentos sociais aos sindicais, para então alcançar a população não organizada nestes espaços. É necessário retornar o pleno estado de direito e estabelecer reformas estruturais democráticas”, afirmou Nadja Carneiro.

Ela também falou sobre qual o modelo de sindicato a ser defendido neste novo período. A secretária de administração e finanças da Fetamce afirma que o movimento sindical deve assumir seu papel de protagonista numa dinâmica que deve integrar um vigoroso processo de resistência aos ataques do programa do golpe.

Foto: Anderson Alencar

“De um lado, a organização dos sindicatos precisam também respirar novos ares, desde ao pleno funcionamento de canais de contato do sócio com o sindicato, até um controle adequado de filiados, de adimplência, de mecanismos de cobrança, além de organização técnica e preparo jurídico. Noutra via, a formação ideológica será cada vez mais fundamental para a compreensão de que a tarefa do dirigente sindical é muito maior que a luta por reajuste e carreira, por exemplo. A nossa luta é pela transformação social”, reforça a representa da entidade do Ceará.

Nadja refletiu ainda sobre o cenário de crise também de financiamento dos sindicatos, assim como questões relacionadas à ética do dirigente: “acomodação, uso da maquina sindical em beneficio próprio e soberba dos dirigentes não são aceitáveis em nenhuma circunstancia, ao mesmo tempo, estas características precisam ser combatidas e exterminadas”, finalizou.

Também participaram da Plenária da FETAM/RN, Fátima Veloso, da Central Única dos Trabalhadores (CUT Nacional); Júnior Souto, presidente estadual do PT/RN; Juneia Martins, presidente do Comitê Mundial de Mulheres da ISP; e Vilani Oliveira, presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Serviço Público Municipal (CONFETAM/CUT).

Resultados

Conforme o presidente da FETAM/RN, Assis Filho, a principal tarefa das forças populares é discutir estratégias para este contexto de crise e pós-golpe, com retirada de direitos, entrega do patrimônio nacional e diminuição dos serviços básicos à população.

E foi por isso que a entidade finalizou o evento com a construção de um Plano de Lutas e Estratégias para encaminhar as demandas do movimento sindical dos servidores municipais do estado.

Ato Público

Foto: Anderson Alencar

O evento também foi marcado pela inclusão na programação de um Ato Público contra as Reformas, que aconteceu nas ruas da cidade de Assu.

DEIXE UM COMENTÁRIO