Entidades de servidores públicos lançam a Campanha “Trabalhadores Protegidos Salvam Vidas”

Foi lançada na terça-feira, 31 de março, a campanha “Trabalhadores e trabalhadoras protegidos salvam vidas”, que busca enfrentar os impactos da pandemia de coronavírus (COVID-19) na vida e na saúde de milhões de profissionais que atuam nos serviços essenciais que não podem parar, como saúde, assistência social, educação, segurança pública, sistema prisional, judiciário, asseio e conservação, limpeza pública, coleta de resíduos sólidos, funerárias e cemitérios, água e saneamento, energia e tributação.

Inspirada na campanha global de mesmo nome da Internacional de Serviços Públicos (ISP) – federação sindical internacional que representa 30 milhões de trabalhadoras e trabalhadores públicos em 154 países –, a iniciativa é impulsionada pelo escritório da ISP no Brasil e diversas organizações filiadas no país.

A campanha também tem como metas apresentar as necessidades de proteção a órgãos e entidades nacionais e internacionais e sensibilizar a sociedade para essa demanda de interesse coletivo, afinal, somente profissionais protegidos são capazes de salvar vidas em meio a uma pandemia como a que estamos vivendo.

Entre os seus objetivos mais práticos e imediatos, está coleta de informações sobre as condições de trabalho dos profissionais brasileiros de serviços essenciais para, dessa forma, embasar as reivindicações de melhorias junto a gestores públicos e empregadores privados, que será feita por meio de um questionário online disponível aqui: trabalhadoresprotegidos.com.br

Conheça a iniciativa:

Trabalhadoras e trabalhadores protegidos salvam vidas

Contamos com os servidores da saúde para salvar inúmeras vidas – mas para que eles possam fazer seu trabalho, os governos de todo o mundo devem tomar medidas mais fortes agora:

  • Precisamos de equipamento de proteção individual (EPI) e treinamento suficientes para que possamos permanecer saudáveis ​​e salvar vidas.
  • Precisamos de medidas direcionadas para apoiar os profissionais de saúde que trabalharão incrivelmente longas horas: deve-se cuidar também de seus filhos e outros dependentes.
  • Precisamos de provisões para trabalhar em casa, licença médica paga, benefícios de desemprego de emergência e, acima de tudo, assistência médica pública gratuita.
  • Precisamos de sistemas de saúde pública com pessoal e recursos suficientes, equipados para responder às emergências de saúde pública.

O surto em curso de Coronavírus está expondo a necessidade vital de serviços públicos de qualidade – especialmente sistemas de saúde pública bem equipados e resilientes.

O que os sindicatos podem fazer?

  • Lutar pelo envolvimento ativo dos sindicatos na tomada de decisões do governo para salvaguardar a segurança e a saúde no local de trabalho e garantir que os custos dessa crise não sejam suportados pela classe trabalhadora.
  • Contribuir para políticas que garantam que todos os trabalhadores, incluindo trabalhadores do setor informal, trabalhadores ocasionais ou subcontratados, recebam subsídios por doença suficientes e deixem subsídios para qualquer quarentena necessária ou quando seus locais de trabalho são temporariamente fechados para reduzir a transmissão da infecção.
  • Faça pressão para que as diretrizes da OIT sobre trabalho decente nos serviços públicos de emergência sejam adotadas em nível nacional, para salvaguardar os trabalhadores na linha de frente, bem como as Convenções 155, 187 da OIT e Recomendações 194, 197, 171 da OIT e Protocolo da Convenção 155.
  • Defender os direitos dos migrantes e refugiados como parte da resposta nacional ao COVID-19 e combater todas as formas de xenofobia e racismo.

METAS DA NOSSA CAMPANHA

Objetivo imediato:

Garantir que todos os funcionários do serviço público, principalmente os profissionais de saúde, tenham as condições de trabalho e os EPIs de qualidade necessários para que não sejam colocados em risco indevido na luta contra o Coronavírus.

  • Crie solidariedade global compartilhando materiais e estratégias entre sindicatos de todo o mundo para ajudar a manter os membros seguros.
  • Colete depoimentos de funcionários da linha de frente para ilustrar os desafios que estamos enfrentando.
  • Pressionar os governos a tomar medidas mais fortes para proteger os trabalhadores, garantir pessoal eficaz para a prestação de cuidados de saúde e respeitar os direitos e princípios fundamentais do trabalho.

Objetivo de longo prazo:

Construir sistemas de saúde pública universais mais fortes e com recursos, pessoal e melhor preparação para responder a futuras crises da saúde.

  • Exponha o custo mortal da austeridade em exacerbar o desafio à saúde colocado pelo coronavírus.
  • Produza materiais de pesquisa coletando depoimentos de trabalhadores e dados qualitativos sobre a resposta ao Coronavírus, a fim de aumentar os recursos e o pessoal da saúde pública e a necessidade de sistemas de saúde pública mais resilientes.
  • Destaque como a resposta ao Coronavírus mostra a necessidade de uma forte intervenção pública que coloque a saúde das pessoas em primeiro lugar para lidar com os desafios futuros, incluindo a crise climática.

Para obter mais informações sobre o plano de resposta de longo prazo Da ISP COVID-19, consulte nossa nota conceitual da campanha no link: Saúde pública Uma vez e para todas .

DEIXE UM COMENTÁRIO