CUT-CE promove Seminário Estadual da Mulher Trabalhadora na próxima terça-feira (27)


Em referência ao Dia Latino Americano e Caribenho de Luta pelo Fim da Violência Contra as Mulheres– 25 de novembro, a CUT-Ceará realiza na próxima terça-feira (27/11), a partir das 8 horas, no auditório da CUT-CE, o Seminário Estadual da Mulher Trabalhadora.


Na programação, a doutoranda em Sociologia do Laboratório de Estudos de Política, Eleições e Mídia (LEPEM) da Universidade Federal do Ceará (UFC), profª Monalisa Soares, apresenta palestra sobre Violência e Gênero. A presidenta da Federação dos Trabalhadores do Serviço Público do Ceará (FETAMCE), Enedina Soares, lançará a revista da entidade “Assédio Moral no Serviço Público”. Também será divulgado o “Anuário das Mulheres Brasileiras de 2011” produzido pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). Durante o encontro, será ainda discutida a composição do Coletivo Estadual da Mulher Trabalhadora da CUT-CE.


O encontro contará também com a presença da Secretária Nacional da Mulher Trabalhadora da CUT, Rosane Silva. De acordo com a Secretária da Mulher Trabalhadora da CUT-CE, Ozaneide de Paulo, a luta contra a violência contra a mulher já teve avanços, como a implantação da lei Maria da Penha, em 2006. Mas, segundo ela, é preciso mais. “Dos 184 municípios cearenses, apenas sete têm delegacias da mulher. Fortaleza só tem uma secretaria voltada para esse público. Diante desse cenário, percebemos que as políticas públicas ainda precisam evoluir mais”, defende.


Em 2012, o Brasil ocupa o 7º lugar em homicídios de mulheres no mundo. O Ceará é o 12º no país e Fortaleza é a 10º capital brasileira. Em 10 anos, 43,5 mil mulheres foram assassinadas no país. A maioria com idade entre 15 e 29 anos. Por dia, 50 denúncias chegam às delegacias no Ceará. De janeiro a agosto de 2012, 10.693 boletins de ocorrência relacionados à violência contra a mulher foram registrados no Ceará. No mesmo período, 1.599 inquéritos foram instaurados, o equivalente a mais de sete por dia. A cada 15 segundos, uma mulher  sofre agressão no país e uma em cada cinco mulheres considera já ter sido vítima de algum tipo de violência. Essas agressões são cometidas por pessoas próximas, como namorados, maridos, irmãos.


O objetivo do seminário é debater como a mulher pode mudar essa realidade e criar mecanismos para combater o problema. Os interessados em participar do seminário podem fazer a inscriação através do telefone (85) 34647377 ou pelo e-mail: cutceara@cutceara.org.br.

 


Fonte: CUT-CE


comunicacao@fetamcetmp.org.br


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO