Professores de Crateús entram em estado de greve

Após receberem proposta de reposição salarial considerada insatisfatória, os professores municipais de Crateús decidiram, em assembleia virtual da categoria realizada no dia 13 de maio, deflagrar estado de greve.

A Prefeitura da cidade, após quatro meses de tentativa de negociação, em que os trabalhadores pediam apenas a concessão do índice inflacionário como revisão remuneratória, apresentou a proposta de concessão de 4,31% dividido em duas vezes, 2% só a partir de julho e mais 2,31% a partir de outubro.

Na avaliação da classe, os 4,31% devem ser aplicado de forma retroativa a primeiro de janeiro de 2021. De acordo com o Sindicato dos Professores de Crateús, que conduz as negociações e o movimento, haverá paralisação das atividades docentes a partir do dia 19 de maio, caso até lá a prefeitura não volte a negociar.

“Ressaltamos que os 4,31% é  o que falta para ser cumprido o Plano de Cargos e Carreira dos professores, como diferença entre o nível médio e o superior, cuja garantia está em leis municipais anteriores a ser decretado Estado de Calamidade, portanto, com amparo legal a ser executado. Enfatizamos também que continuamos abertos às negociações e esperamos sermos recebidos o mais rápido possível pelo Sr. Prefeito e a Sra. Secretária de Educação”, disse a presidente do sindicato, Socorro Pires.

DEIXE UM COMENTÁRIO