II Jornada Trabalho Decente: Servidores municipais iniciam debate sobre Assédio Moral e Saúde do Trabalhador


“A nossa meta nestes próximos dias é aprofundar a questão do Assédio Moral pela ótica da saúde do trabalhador. Este evento chama os servidores e a sociedade para a discussão dos impactos do Assédio Moral no local de trabalho. Queremos dimensionar a importância desta problemática que é uma das questões que mais acomete os nossos trabalhadores e é uma causa que deve ser trabalhada por todos e alvo de enfrentamento”, conclamou Enedina Soares, presidenta da FETAMCE, durante a abertura da II Jornada do Trabalho Decente, que trouxe o tema “Saúde no Trabalho é Qualidade de Vida – Assédio Moral no Serviço Público também faz mal à saúde”. O evento teve início na noite de hoje (21/11), no Praiano Hotel, em Fortaleza.


Participaram também da abertura do evento Joana Almeida, presidenta da Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE), e Graça Costa, Secretária de Relações do Trabalho da CUT e Presidenta da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Brasil (CONFETAM). Segundo Joana, quando a FETAMCE coloca o trabalho decente como destaque nas suas demandas, chama todo o movimento sindical para o debate. “O tema que hoje debatemos, na ótica do Assédio Moral, ainda é um conceito em disputa, mas que é tão fundamental para a classe trabalhadora e tão abafado pelos patrões. Este debate de equidade e igualdade de oportunidades proposto pelo tema trabalho decente leva ao debate sobre assedio moral, que nos preocupa e nos leva a tratar com prioridade, como fazemos aqui hoje, dialogando e entendendo como combater essa problemática”, destaca. Já Graça ressaltou o orgulho de acompanhar o grupo presente, que mobiliza  todo o Ceará para o enfrentamento do Assédio Moral. “A Fetamce é fruto disto, desta presença massiva, que traz quase todo o Ceará, 146 municípios, para essa luta. São muitos os desafios, como a equidade, o combate à terceirização e outras formas de precarização das relações de trabalho. O caminho é esse, mobilizar para garantir a saúde do trabalhador, que está no centro de nosso trabalho”, fechou a sindicalista.

Saúde metal do trabalhador

Logo em seguida à abertura, foi apresentada a Conferência Magna “Saúde do trabalhador e os impactos no mundo do trabalho”, apresentada pelo psiquiatra Alfredo Vieira. Segundo o médico, os transtornos neuróticos são doenças essencialmente modernas, pois as doenças mentais são a maioria conjunturais. “Os transtornos mentais ocupam terceira posição entre as causas de adoecimento, segundo o Ministério do Previdência, já que no atual quadro econômico mundial há uma precarização cada vez maior, com enxugamento dos postos de trabalho. Ou seja, o trabalho precário está generalizado e é é flexível e pobre, pois a incorporação mental repercute na saúde do trabalhador”, explica Alfredo. O psiquiatra explica que não houve inclusão da massa trabalhadora ao discurso modernista e esse crescimento exagerado do Brasil não incluiu a maior parte da população.

Debate continua

Amanhã (22/11), as atividades continuam com a discussão sobre “Qualidade de Vida” e “Como o assédio moral afeta a saúde”, além do lançamento da Campanha de Combate ao Assédio Moral no Serviço Público e da Revista da FETAMCE, com um espacial na temática do assédio moral. A programação segue até o dia 23 de novembro.

Assessoria de Comunicação – FETAMCE

comunicacao@fetamcetmp.org.br


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO