Fetamce e sindicatos filiados recolhem mais de 11 mil assinaturas contra reforma trabalhista

Da esquerda para a direita, os sindicalistas Anderson Almeida, Rafael Fernandes, Netinha Rodrigues, Nadja Carneiro, Wil Pereira, Enedina Soares, Emanuel Lima e Helder Nogueira. Foto: Fetamce

A Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce) e sindicatos filiados recolheram 11.722 assinaturas dentro da campanha “Anula reforma”, que busca a viabilização de um projeto de lei de iniciativa popular que sugere a revogação da Lei 13.467/2017, resultado da reforma trabalhista proposta pelo Governo do ilegítimo Michel Temer (PMDB).

O calhamaço de documentos foi entregue hoje, 8 de novembro, por diretores da Federação a dirigentes da Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT/CE). O volume seria ainda maior, haja vista que diversos sindicatos da rede da Fetamce entregaram os formulários diretamente à CUT.

A coleta das assinaturas foi deliberada durante o último congresso nacional da Central. Aos olhos da entidade, a reforma trabalhista foi aprovada a toque de caixa e sem qualquer discussão com a sociedade. O movimento também propõe a revisão das relações de trabalho no Brasil, com foco em uma legislação que amplie a proteção aos trabalhadores. O texto pede ainda a anulação da Lei 13.429/2017, a chamada Lei da Terceirização.

“Chamamos a suposta reforma de golpe trabalhista, pois são mais de cem artigos que retiram direitos históricos dos trabalhadores conquistados ao longo dos últimos anos e com muita luta”, explica Enedina Soares, presidenta da Fetamce.

Pesquisa aponta: O povo desaprovou a reforma

De acordo com pesquisa do Vox Populi, encomendada pela CUT e divulgada em 7 de agosto, 57% dos entrevistados avaliam que a reforma trabalhista aprovada pelo Congresso Nacional é boa apenas para os patrões. Outros 15% acreditam que a mudança não beneficia a ninguém, enquanto 12% afirmam que a reforma é boa para ambos e 3% disseram que ajuda os empregados. Outros 14% não souberam ou não responderam.

10 de novembro: nas ruas contra a destruição dos direitos

Enedina Soares convida ainda a população para a “Marcha da Esperança – Serviços Públicos são Direitos da Classe Trabalhadora”, que marcará no Ceará o Dia Nacional de Luta contra as Reformas Trabalhista e da Previdência. A atividade acontecerá no dia 10 de novembro de 2017, com concentração às 8h na Praça da Bandeira, no Centro de Fortaleza.

DEIXE UM COMENTÁRIO