Dia Internacional da Classe Trabalhadora Manifesto dos/as Trabalhadores/as de Crateús

Estamos mais uma vez nas ruas de Crateús, para declarar nossa indignação com a situação de descaso em vários aspectos de nossa vida. O sistema capitalista globalizado, onde o Brasil se insere, reina absoluto, retirando da terra até a capacidade produtiva. Aplica grande quantidade de veneno deixando as águas, os frutos e sementes contaminados em nome do lucro, enquanto a produção dos agricultores é desvalorizada.


A violência na sociedade brasileira se apresenta no maltrato e exploração às crianças e adolescentes, no tráfico e consumo de drogas, nos assaltos constantes, nas agressões psicológicas e domésticas. Outra face da violência, está na falta de atendimento digno na saúde hospitalar, insuficiente para atender as necessidades da população.


Na luta por uma educação de qualidade, professores/as se mobilizam para garantir o uso do recurso do FUNDEB e a realização do concurso público, para pôr fim ao clientelismo político e valorizar o Plano de Cargos e Carreira.


O governo Cid Gomes aumenta impostos e faz multas abusivas ao transporte rodoviário, especialmente D-20, proibindo a circulação intermunicipal e tirando as condições de trabalho de pequenos.


Por outro lado o governo federal exige que mototaxistas troque a moto de 3 em 3 anos e siga um padrão nacional, mas não oferece condições para viabilizar as exigências. A

relação com os servidores federais, tem sido de arrocho salarial e tentativa no Congresso Nacional, de reduzir direitos historicamente conquistados.


Alertamos a população para os fenômenos que estão acontecendo no mundo, devido a interferência na natureza de governos e empresas. Precisamos continuar gritando contra a ação do governo municipal no Rio Poty, inundando ruas e alterando o curso do rio. Outro alerta é sobre a construção do Lago de Fronteiras, que tem sido pouco claro em relação a vida de uma população que tem ali suas raízes e vai trazer conseqüências sérias para o meio ambiente.


Por uma política de trabalho e renda, pelo direito a moradia decente, respeito às diferenças e pela liberdade de expressão.


Para termos boa qualidade de vida é necessário a união da Classe Trabalhadora na Luta por direitos sociais, trabalhistas e pela preservação dos recursos naturais: nossos rios, matas, animais e terra.


Organização: Sind. Prof. de Crateús, Sintsef, MST, Cáritas Diocesana, Sind. dos Trab. Rurais de Crateús, Sind. dos Mototaxistas, FETAMCE – Reg. Crateús, Frente Social Cristã, IDSAF, Paróquia Sr. do Bonfim, MODESE- Movimento em Defesa dos Servidores de Crateús, Comissão Pastoral da Terra, Sind. dos Fotógrafos, PSOL, APEOC.
Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO