Beberibe – Prefeitura não negocia e servidores paralisam serviços até o dia 27


Os servidores municipais de Beberibe, regional Metropolitana, estão em paralisação geral até esta quinta-feira (27). Os trabalhadores pressionam o Executivo municipal para que avance na negociação das pautas da Campanha Salarial de 2014. Em assembleia extraordinária realizada ontem (25), no ginásio da escola Desembargador Pedro de Queiroz Ferreira, foi deliberada greve geral no dia 11 de março, caso a Prefeitura não apresente proposta alguma. A Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce) compareceu à assembleia.


De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Beberibe (Sindserv), mais de 300 pessoas estiveram presentes à assembleia de ontem. Franciedson Oliveira, presidente da entidade, afirmou que a categoria sente-se desvalorizada, vivendo uma realidade em que a Prefeitura gasta mais de um milhão de reais com o Carnaval, mas não tem uma proposta para apresentar aos trabalhadores do Município.


No último dia 19, a prefeita recebeu representantes dos servidores para negociar as pautas da Campanha Salarial deste ano. Contudo, observam os trabalhadores, não houve avanços. “A prefeita disse que vai fazer uma previsão [de reajuste] para as categorias em março”, disse Franciedson, que observou os prejuízos para os servidores quando se protela o reajuste salarial.


“Em Beberibe, não temos uma data-base fixada”, ressaltou. Dessa forma, os reajustes não retroagem aos primeiros meses do ano, fazendo com que o servidor passe mais tempo com um salário que não foi corrigido para repor as perdas ocasionadas pela inflação. “Ano passado, o reajuste foi dado em junho e ela quer fazer o mesmo neste ano”, observou Franciedson.


Enedina Soares, presidente da Fetamce, afirmou que a Federação vai dar todo o apoio aos trabalhadores do Município, fortalecendo o movimento dos servidores municipais. “É preciso que os municípios valorizem aqueles que trabalham por ele. O trabalho do servidor é a execução do serviço da Prefeitura para a população e, por isso, precisa ser valorizado”, disse.


Pautas


Os professores municipais reivindicam o reajuste salarial linear de 8,32% sobre o salário-base da categoria, auxílio-transporte para os profissionais da Educação e o pagamento imediato do retroativo referente ao mês de janeiro deste ano para todos os profissionais do Magistério, sendo eles professores (efetivos e temporários). A Prefeitura, no entanto, não apresentou proposta alguma, protelando o reajuste salarial previsto para depois de março.


Os servidores da Saúde reivindicam o seu Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS). O documento já foi para a Câmara Municipal e precisa entrar em votação para ser sancionado pela prefeita. Os assistentes sociais também cobram o seu PCCS. Os motoristas da Saúde pedem mais ambulâncias para o Município.

 


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO