V Memórias de Baobá inicia com defesa do ensino das africanidades nas escolas


Começou na tarde de ontem (26/11) e segue até sábado (29/11) o V Memórias de Baobá, que traz o tema “Memórias das africanidades: na roda, na ginga e na escola, a resistência se reelabora”. Promovido pelo Núcleo de Africanidades Cearenses (Nace), da Faculdade de Educação da UFC, em parceria com a Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce). A atividade também compõe as parcerias estabelecidas pela entidade sindical no âmbito da campanha “Serviço Público de Todas as Cores – Construindo a igualdade de oportunidades através do combate à homofobia, ao racismo e à violência contra a mulher”.


A abertura do evento contou com caminhada ao som de tambores negros, que percorreu o pátio da UFC, passando por todo o Centro de Humidades e concluindo o percurso no auditório da Faculdade.


Na programação, a apresentação de trabalhos científicos, mesas-redondas, rodas de conversa e de formação, apresentações culturais e oficinas, como as de “Culinária afro”, “Produção de material didático: histórias infantis negras”, “Meus cabelos afro: trançando interdisciplinaridade e letramentos”, dentre outras. Iniciando todos os dias da atividade, será realizada uma saudação ao baobá centenário da Praça dos Mártires, no Passeio Público, tendo em vista que atividade se divide entre os jardins centenários do Centro de Fortaleza e o campus da Universidade.


O encontro Memórias de Baobá ocorre desde 2010 e é voltado à formação de professores, estudantes de ensino médio, graduação e pós-graduação e demais setores envolvidos no ensino das africanidades nas escolas. Integra as ações do NACE, que investiga e discute a história, cultura e participação da população negra.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO