SUPREMA convoca para audiência no Forum de Maracanaú dia 11 para decidir sobre a Greve 2010

O SUPREMA, Sindicato dos Professores de Maracanaú, informa que o juiz da 2ª vara cível de Maracanaú, Dr. Jurandir Porto, juntamente com o senhor promotor Dr. Halley, intimaram a Prefeitura e o Sindicato para uma audiência de conciliação / negociação, na terça-feira (11 de maio) às 8h no fórum de Maracanaú.


O SUPREMA faz o apelo para que todos os professores estejam presentes nesse dia e assim, juntos, fortalecer nossa luta, para decidirmos se continuamos ou não a nossa greve 2010.


Sua presença é indispensável!


A certeza de um movimento forte, se dá pela união de nossas forças!

Veja as deliberações da assembleia geral ocorrida em 4 de maio de 2010


1. Manifestação no fórum de Maracanaú – 05 de maio (quarta-feira) às 8h: a prefeitura entrou com o pedido de ilegalidade da greve, que está sendo julgada pelo juiz Dr. Jurandir Porto. O promotor Halley, deu parecer contra a ilegalidade, sendo favorável aos professores. O juiz e o promotor estão sensíveis a causa e trabalham na possibilidade de chamar a prefeitura para negociar.


2. Assembléia geral extraordinária da categoria dia 07 de maio (sexta-feira) às 9h em frente a secretaria de educação , para a avaliação do movimento grevista, informes e encaminhamentos.


3. A presença assídua dos professores para reforçar o acampamento na secretaria de educação, para que não enfraqueça o movimento;


4. Gravar vídeo tape para ser vinculado no canal 10, com a previsão de passar na tv no sábado (08/05) às 19h;


5. Confeccionar jornal específico sobre a greve;


6. Carro de som circulando na cidade agradecendo os professores que continuam em greve e esclarecendo a população sobre a razão da greve dos professores de Maracanaú;


7. A negociação com a prefeitura será realizada com a presença da CUT, FETAMCE e CONFETAM, negociando a pauta defendida pela categoria;


8. Nota pedindo apoio e esclarecendo os motivos da greve para as igrejas católicas, evangélicas…

9. Continuar o acampamento e mobilizações nas escolas que ainda estão com professores nas salas de aulas.
Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO