Professores de Maracanaú ocupam SME e mantêm estado de greve

Os professores de Maracanaú deram continuidade nesta quinta-feira às paralisações do estado de greve. Diante de nova negativa do prefeito Firmo Camurça, a categoria deliberou por ocupar durante toda a manhã a sede da Secretaria Municipal de Educação (SME).

Os educadores cobram reajuste de 12,84%, retroativo a janeiro de 2020. O Poder Executivo propôs aumento de 4,31% em março e de 8,53% a partir de setembro, sem retroativo. Os profissionais pedem proposta alternativa.

Além do reajuste, os professores cobram 2,5% de progressão em junho e promoções por título, desde 2018, de acordo com o Plano de Cargos e Carreiras; revogação da Lei que acabou com a redução de carga horária; 0,57% de reajuste relativo a 2019; e vale alimentação de R$ 21,52, a fim de cumprir a legislação do benefício.

A agenda de atos e mobilizações continua com a realização de atividades nesta quinta e sexta-feira. Amanhã (20/02), três ações regionais descentralizam a luta e focam no diálogo com a comunidade escolar. E no dia 21, uma nova assembleia discute os rumos da luta em torno dos direitos do magistério de Maracanaú.

Agenda de Atividades

Quinta-feira – 20/02/2020

Atos Regionais – 8h

Locais:

Praça do Dionísio – Ao lado da Escola 7 de Setembro/UPA Pajuçara

Praça do Mucunã – Em frente à Escola Maria Marques

Praça Adauto Ferreira Lima -Timbó

Tarde

Professores de outras ADLs – ir às escolas falar com os pais

Sexta-feira – 21/02/2020

Assembleia Geral – 8h

Local:

Praça da Estação de Maracanaú

DEIXE UM COMENTÁRIO