Professores de Itapajé em greve fazem concentração nesta quarta-feira, na sede do SISPUMI

Hoje, quarta-feira, dia 9/6 , haverá concentração dos professores em greve do município de Itapajé, na sede do Sindicato da Categoria – SISPUMI. Os professores estão aderindo o movimento. Desde o inicio da paralisação contamos com apoio da CUT e com dirigentes do Sindicato dos Sapateiros de Fortaleza. O carro da CUT circulou com som nas ruas e distritos durante os primeiros dias do movimento. A greve foi deflagrada na Assembléia Geral realizada no último dia 5/6, com a participação significativa dos professores.


Na Assembléia Geral realizada no último dia 5/6, com a participação significativa dos professores, foi deflagrada greve geral por unanimidade dos presentes, com a presença valorosa dos representantes da CUT. No dia 7/6, houve paralisação parcial com maior adesão nas escolas dos distritos e concentração na sede do SISPUMI com Sede na Rua Fausto Pinheiro,278,bairro Centro. No dia 8/6, a paralisação foi parcial com grande numero de adesão. Houve visita do SISPUMI junto com o Comando de Greve nas escolas dos Distritos para apoiar os professores que estão sendo oprimidos psicologicamente.


Desde a 29/05- Assembléia Geral, realizada dia 29/5, foi deliberado Estado de Greve (mais de 100 professores), desde então está havendo paralisação parcial nas escolas da sede , com concentração na Escola Padre Lima na qual houve abuso de poder da diretora chamando a Policia contra os professores, mas não nos intimidamos.


No dia 1º/6 continuou a paralisação também em algumas escolas da sede e creches. Reunião do comando de greve no Posto Ipiranga, BR 222. Paralisação com algumas resistências por conta de ameaças dos gestores. Concentração na Praça do Centenário no centro da cidade com ato público no fim da tarde. À noite visita domiciliar aos professores inseguros e resistentes mas com conquistas de muitos novos adeptos.


No dia 3/6 a paralisação contou mais de 80 manifestantes e houve ato público no distrito de Iratinga. Foram feitas visitas a todas as famílias de alunos á noite para pedir apoio dos pais. No dia 4/6, a paralisação foi geral, na qual escolas da sede contaram com freqüência de apenas 15% dos alunos. Panfletagem nas ruas à tarde e ato público à noite antes da sessão na câmara com presença significativa da população.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO