Prefeito persegue servidores e tenta acabar com o movimento

Desde 2009 que o senhor Francisco Adelmo prefeito de Potiretama, respeitado empresário do Estado vem perseguindo e caçando os direitos já conquistados pelos servidores do municipio de Potiretama, enquanto cidadãos. Eis alguns fatos a lamentar: Julho 2009 : com o apoio incondicional dos vereadores demitiu mais de 100 servidores de seus cargos para os quais prestaram concurso dentro da lei;


Abril 2010: instituiu o Regime Próprio de Previdencia e desde então nenhum servidor conseguiu licença para se tratar de qualquer doença, que dirá aposentadoria, quando precisam de alguma informação,são humilhados e destratados pelo diretora presidente do tal fundo, que até hoje não se sabe ao certo para onde vai 11% de desconto que fazem de todos os servidores;


Maio de 2010: viola desde então ordens judiciais que condenou o municipio a pagar salario minimo a todos os servidores do municipio, paga meio e assim mesmo atrasado; abril 2011: instituiu piso pirata do mec para os professores, não satisfeito reduzui em 8% a gratificação do professores graduados, direito conquistadopela categoria no PCC/MAG, tudo com o aval dos vereadores, inclusive entre eles há dois professores;


Junho 2011:Novamente com o apoio do legislativo, modificou o Estado dos Servidores, retirando o direito a renumeração das duas dirigentes sindicais , que estão com mandato classista, isso com requintes de crueldade, as mesmas só ficaram sabendo no momento que foram ao banco receber e perante os outros servidores viram sua contas zeradas;


Setembro 2011: oficializa que não mais descontará a mensalidade da entidade em folha de pagamento, ignorando o que está previsto no estatuto do sindicato e a vontade/direito do servidor que autorizou om desconto, e para não deixar a baizxaria de lado em todos os momentos este atos foram comemorados como verdadeira copa do mundo, com direito a foguetes e rojões a vontade e de preferencia proximo a casa das dirigentes sindicais. Hoje vivemos um momento de retrocessos e abandono, pois o poder legislativo é omisso e subserviente ao executivo,e o judiciário falho.
Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO