Fortaleza: 8 mil pessoas marcham contra a terceirização


Cerca de oito mil trabalhadores tomaram o Centro de Fortaleza em ato estadual contra o Projeto de Lei Nº 4330, das terceirizações, nesta quarta-feira (15/4). O PL representa, segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a profunda precarização das relações de trabalho.


Hoje, 12,7 milhões de pessoas já são terceirizadas. Além disso, os subcontratados são as maiores vítimas de instabilidade, ficando, em média 2,6 anos a menos no emprego; de acidentes de trabalho, de contratações precárias; de carga-horária superior em 3 horas, comparados aos efetivos; de risco de morte; e ainda ganham 24% menos.


Joana Almeida, presidente da CUT Ceará, afirma que “o projeto aponta o que aparece como sonho dos empregadores: a possibilidade de uma empresa funcionar sem empregados, já que o PL, da forma como está, permite que as empresas terceirizem até suas atividades-fim, o que hoje é proibido pelo Tribunal Superior do Trabalho”.


Com a terceirização, um banco, por exemplo, poderá deixar de contratar diretamente e passaria a ter funcionários de empresas subcontratadas, com condições de trabalho e salários ainda piores do que já são pagos. Dessa forma, o PL 4330 significa o fim da estabilidade e dos direitos conquistados pelos trabalhadores.


“Esse projeto vai na contramão das mudanças que o país precisa. O PL 4330 é uma lei antitrabalhador e a terceirização, que hoje é uma exceção, pode virar regra”, afirma Enedina Soares, presidenta da Fetamce.


Presidenta da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), a professora Vilani Oliveira conclamou todos os trabalhadores a resistirem contra o projeto das elites. “Temos que compreender que durante 500 anos as elites vêm explorando este país, jogaram milhares de brasileiros à margem da sociedade. Eles agora querem aprovar o PL 4330 da terceirização, que rasga a CLT e retira direitos históricos da classe trabalhadora. Temos que resistir e mostrar que estamos unidos na defesa dos nossos direitos”, defendeu.


O ato destacou ainda os deputados cearenses que traíram os trabalhadores, ao aprovar o texto base do projeto na última semana na Câmara de Deputados. Veja mais detalhes na reportagem:


 


(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));


A TV Fetamce registrou tudo o que aconteceu no Dia Nacional de Paralisação contra a Terceirização


Posted by Fetamce on Quinta, 16 de abril de 2015


Além de Fortaleza, a atividade contou com atos nas cidades de Quixadá e Iguatu, unificando os movimentos sindicais e sociais.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO